Notícia

Jornal da Cidade (Bauru, SP) online

Frio aumenta risco de infarto

Publicado em 13 fevereiro 2005

Estudo realizado por pesquisadores do Instituto do Coração(Incor), em São Paulo, mostrou que as mudanças bruscas de temperatura em grandes cidades, principalmente do quente para o frio, podem aumentar o risco de infarto na população.
O estudo relacionou o número diário de mortes ocasionadas por problemas cardiovasculares, entre 1998 e 2000, com informações sobre temperatura, umidade do ar, pressão e poluição atmosférica na região metropolitana de São Paulo. As estatísticas apontaram que, nos dias em que foram registrados baixas temperaturas na cidade, o número de infartos aumentou, principalmente entre os mais velhos.
De acordo com o autor da pesquisa, o médico Rodolfo Scharovisky, os registros apontaram que, em dias com extremos de temperatura, ocorreram 30% a mais de mortes por infarto em comparação aos dias com clima ameno.
Para ele, três motivos principais podem explicar a relação entre as condições do tempo e as variações no número de infartos. Além das inflamações respiratórias que colaboram com problemas cardiovasculares, os fatores de coagulação do sangue ficam mais ativos em dias frios, favorecendo o fechamento das artérias coronárias.
Um terceiro motivo seria a vasoconstrição: para evitar a perda de calor em baixas temperaturas, os vasos sanguíneos se contraem, provocando a elevação da pressão arterial e a obstrução em pessoas que já apresentam algum tipo de placa de gordura atrapalhando a circulação arterial. (Agência Fapesp)