Notícia

GVces - Centro de Estudos em Sustentabilidade

Francês ganha Nobel de Literatura

Publicado em 10 outubro 2008

Agência FAPESP - O Nobel de Literatura de 2008 foi concedido ao escritor francês Jean-Marie Gustave Le Clézio, "autor de novas despedidas, aventuras poéticas e êxtase sensual, explorador da humanidade além da civilização reinante", segundo o comitê do prêmio.

Autor de O africano, uma de suas obras lançadas no Brasil, Le Clézio nasceu em Nice, em 13 de abril de 1940. Com familiares ligados à ilha Maurício, então colônia inglesa, cresceu falando francês e inglês. Após completar o ensino médio, mudou-se para a Inglaterra para estudar na Universidade de Bristol. Em seguida, passou pelo Instituto de Estudos Literários, em Nice, e concluiu o mestrado na Universidade de Aix-en-Provence, em 1964. Lecionou em diversas universidades, em cidades como Bangcoc, Austin, Albuquerque, Boston e Cidade do México.

Seu primeiro livro foi Le procès-verbal (1963), que foi premiado com o prêmio Renaudot. Seguiram-se La fièvre e Le déluge, nos quais o autor evidencia problemas e medos comuns aos habitantes das grandes cidades ocidentais.

Le Clézio escreveu títulos com temas ambientais, como Terra amata (1967) e Le livre des fuites (1971). Autor de bibliografia extensa, com mais de 40 livros, segundo o comitê do Nobel teve seu grande salto com Désert (1980), pelo qual foi premiado pela Academia Francesa com o Grande Prêmio Paul Morand. "A principal personagem, a argelina Lalla, é uma antítese utópica para a feiúra e a brutalidade da sociedade européia", destacaram.

Recentemente, os trabalhos do escritor se direcionaram para o mundo da infância e para a sua história familiar, com Onitsha (1991), A quarentena (1995), publicado no Brasil, Révolutions (2003) e L'Africain (2004). Sua obra mais recente é Ritournelle de la faim (2008).

O ganhador do Nobel também é autor de diversos livros para crianças, como Lullaby (1980), Celui qui n'avait jamais vu la mer suivi de La montagne du dieu vivant (1982) e Balaabilou (1985).

Le Clézio receberá o prêmio de 10 milhões de coroas suecas (cerca de R$ 3 milhões), mais medalha de ouro e diploma em cerimônia dia 10 de dezembro, na Suécia, aniversário da morte de Alfred Bernhard Nobel (1833-1896), o inventor da dinamite.

Mais informações: http://nobelprize.org.