Notícia

Jornal da Cidade (Bauru, SP) online

Fotos obtidas pela Fiocruz e Inmetro mostram vírus agindo

Publicado em 02 outubro 2020

Aumento de 200 mil vezes ajuda a mostrar como o coronavírus agiria nas células

Rio de Janeiro - Imagens com ampliação de 200 mil vezes mostram claramente a ação do novo coronavírus infectando células. O registro, divulgado nesta quinta-feira (1º), foi feito por pesquisadores do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz), em parceria com o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro).

As fotografias mostram que as células infectadas apresentam prolongamentos de membrana, chamados de filopódios, que formam conexões com outras células. A alteração pode ser uma das estratégias do vírus para ampliar a infecção.

As informações foram divulgadas pela assessoria da Fiocruz na internet. Nas imagens, ampliadas em até 200 mil vezes, é possível observar diversos prolongamentos de membrana nas células infectadas e a conexão entre as células vizinhas. Muitas partículas virais são vistas na superfície celular, inclusive sobre os filopódios.

FAPESP

Uma proteína no sangue pode servir como uma espécie de "termômetro biológico" capaz de indicar a gravidade da inflamação provocada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2). Pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) e da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) descobriram que o acompanhamento das taxas da proteína - já a partir dos primeiros sintomas da doença - serviria como uma ferramenta importante para auxiliar a tomada de decisão nas equipes de saúde e no desfecho da doença.