Notícia

JC e-mail

Fórum propõe avaliar projetos e impacto das FAPs na sociedade

Publicado em 30 julho 1999

Por Yuji Gushiken
A necessidade de prover o meio científico de maior poder de negociação com outros atores sociais levou o Fórum de Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa a apresentar proposta para avaliar os impactos dos projetos de pesquisa na sociedade. Ou seja, de "pesquisar a pesquisa". A proposta foi apresentada durante a 51ª Reunião Anual da SBPC, em Porto Alegre. João Carlos Cavalcanti, diretor da Fundação de Amparo à Pesquisa de Pernambuco (Facepe), apresentou o trabalho "Avaliação de Projetos e do Impacto das FAPs na Sociedade", que serviu de base para as discussões entre diretores das fundações. A negociação do fomento da ciência com outros atores sociais começa pela demonstração da importância do investimento em pesquisa científica para a sociedade. Em geral, a sociedade tende a cobrar resultados imediatos e em alguns casos até contesta a real necessidade de programas de incentivo à pesquisa. Pedro César Dutra Fonseca, presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Rio Grande do Sul (Fapergs), disse que a busca de indicadores é importante, porque através deles é possível justificar a importância do investimento. "A cada dia somos cobrados pela sociedade, e temos que ter respostas." "Quanto mais nos afastamos da aplicação imediata da ciência, mais difícil fica a avaliação", analisa Francisco Romeu Landi, presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa de São Paulo (Fapesp). "No caso das ciências humanas, então, é dificílimo." Glaci Zancan, presidente da SBPC, e Sérgio Ferreira, ex-presidente, disponibilizaram a entidade a somar esforços em defesa da criação e do fortalecimento das FAPs em todos os estados.