Notícia

Agência C&T (MCTI)

Formas de aperfeiçoamento do Sistema de Fomento de CT&I contemplam institutos nacionais de C&T

Publicado em 26 junho 2008

Por Fabiana Santos

Já anunciado anteriormente pelo presidente do CNPq, Marco Antonio Zago, em evento realizado na reitoria da Universidade de São Paulo (USP), no dia 12 de maio, o programa Institutos Nacionais de C&T será lançado em breve pelo MCT. A informação é do ministro Sergio Rezende, que presidiu ontem (25), a 2ª Reunião Plenária do Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia (CCT). A iniciativa é uma nova versão dos Institutos do Milênio, programa criado em 2001 no Brasil. Segundo o ministro, o investimento nesses institutos compõe as quatro linhas de ação para o aperfeiçoamento do Sistema de Fomento de Ciência, Tecnologia e Inovação no país.

Os novos institutos serão nacionais e voltados para áreas estratégicas do Plano de Ação Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Nacional (Pacti). Rezende informou que será lançado um edital no qual estarão indicadas as áreas estratégicas para atuação desses institutos. As propostas que conseguirem financiamento terão apoio por cinco anos, sendo avaliadas nos três primeiros.

Ele explicou que o programa não foi anunciado ontem, por exemplo, pois entende que a iniciativa não deve ser só do MCT. “Estamos fazendo a articulação com as maiores FAPs [fundações de amparo à pesquisa] do país, Faperj, Fapesp e Fapemig, e também com a Petrobras e com o BNDES. Pretendemos que ele [programa] tenha articulações com várias agências federais e estaduais.”

Investimentos

Em matéria divulgada pela Universidade de Campinas (Unicamp), no dia 19 deste mês, o ministro da C&T informou, durante uma apresentação sobre o Pacti na universidade, que os Institutos Nacionais de C&T contarão com um significativo aumento de recursos, passando dos atuais R$ 3 milhões em três anos para R$ 9 milhões no mesmo período.

Aperfeiçoamento

Como outras ações a serem realizadas no âmbito do aperfeiçoamento do Sistema de Fomento de CT&I, o ministro informou que os editais do CNPq e da Finep terão um calendário anual. “Não que este calendário seja rígido, mas haverá épocas do ano específicas para cada tipo de edital”, informou.

Mais recursos para o edital Universal, aperfeiçoamento do Programa de Apoio aos Núcleos de Excelência (Pronex) e de editais voltados a novos pesquisadores são algumas das ações para o sistema.