Notícia

Correio Braziliense online

Foco não é só em remédios

Publicado em 10 fevereiro 2019

Enquanto os estudos sobre drogas em potencial falham, crescem as evidências de que é possível reverter ou retardar sintomas do Alzheimer com estratégias não medicamentosas. Esse é o foco de um projeto liderado pela pesquisadora da Universidade de São Paulo (USP) Tânia Araújo Viel, que investiga, com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), abordagens que promovam a qualidade de vida no envelhecimento. Agora, em um estudo publicado na revista Frontiers in Aging Neuroscience, ela revela que um ambiente [...]

Conteúdo na íntegra disponível para assinantes do veículo.