Notícia

Administradores

FNQ — Fundação Nacional da Qualidade amplia conselho e promove

Publicado em 18 junho 2007

Eleito na última sexta, dia 15, o novo Conselho Curador da FNQ — Fundação Nacional da Qualidade — inicia suas atividades com a missão de apontar as tendências e traçar o perfil da liderança do século 21. Entre os dias 21 e 23 de junho, eles ficarão fechados em um hotel no interior de São Paulo para debater o tema. O Conselho é composto por 33 presidentes e diretores das empresas mais renomadas do País. Outros três compõem o Conselho Fiscal .

Comandado pela segunda vez por Pedro Luiz Barreiro Passos, co-presidente do Conselho de Administração da Natura, o Conselho tem como principal missão nos próximos três anos fortalecer a disseminação de conhecimentos sobre gestão empresarial na formação de profissionais.

Ao lado de Passos, na liderança do grupo estão os vice-presidentes Luiz Ernesto Geminiani, diretor-presidente da Promon; Murilo César L. dos Santos Passos, membro do Comitê de Gestão da Suzano Papel e Celulose e Wilson P. Ferreira Junior, presidente da CPFL.

Para o triênio 2007-2010, a FNQ aumentou de 25 para 33 seu quadro de conselheiros no Conselho Curador, além de mais 3 no Conselho Fiscal. O escopo das organizações envolvidas também foi ampliado, com a inclusão de entidades ligadas ao governo e à academia. Essa mudança deve-se ao investimento que a FNQ pretende fazer na disseminação dos conceitos de excelência em gestão para a formação e atualização de profissionais.

Junto com o conselho, a FNQ apresentou o novo presidente-executivo da instituição, Michal Gartenkraut, ex-reitor do ITA, ex-presidente do IPEA e ex -secretário-geral do Ministério do Planejamento do governo Sarney. A vinda de Gartenkraut também está ligada a essa estratégia de gestão do conhecimento. Gartenkraut apoiará Antonio Tadeu Pagliuso, superintendente-geral da FNQ na gestão da entidade .

Durante a cerimônia de posse realizada em São Paulo, a FNQ mostrou seus resultados de 2006 , com destaque para: aumento de 150% na receita de patrocínio, crescimento de receita bruta de 23% sobre o ano anterior e de 13% da quantidade de empresas-membro; parcerias com organizações como Instituto Ethos e Movimento Brasil Competitivo (MBC); lançamento dos Cadernos de Excelência, uma coleção de 10 publicações sobre o modelo disseminado pela FNQ, entre outros.

Em 15 anos de atuação, a FNQ já registrou 5 mil empresas que empregam integralmente seu Modelo de Excelência da Gestão ® (MEG) e 48 mil que o aplicam de forma parcial; 68 mil pessoas capacitadas por seus cursos e workshops; 30 mil pessoas capacitadas como examinadores de seu modelo e prêmios, além de promover entre 80 e 100 cursos e eventos por ano, metade deles gratuitos.

Integram o grupo mais 32 empresários de renome, três deles com a função de cuidar do conselho fiscal. São eles: Adilson Primo (Siemens Ltda); Carlos Augusto Salles (Tormes Consultoria Empresarial); Carlos Henrique de Brito Cruz (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - Fapesp); Carlos Henrique Moreira (Empresa Brasileira de Telecomunicações S/A - Embratel); Cláudio Luiz Lottenberg (Hospital Israelita Albert Einstein); Constantino de Oliveira Jr (GOL Linhas Aéreas Inteligentes); Elcio Anibal de Lucca (Serasa S.A.); Francisco Amauri Olsen (Tigre S.A. Tubos e Conexões); Francisco S. Mazzuca (Fundação Getúlio Vargas); Frederico Fleury Curado (Empresa Brasileira de Aeronáutica S/A - Embraer); Geraldo Quevedo Barbosa Junior (Becton Dickinson Indústrias Cirúrgicas Ltda); Helio Bruck Rotemberg (Positivo Informática); Irani Carlos Varella (Petrobras S.A.) Jorge Gerdau Johannpeter (Gerdau Açominas S.A.); José Carlos Grubisich (Braskem S.A.); José Ricardo Roriz Coelho (Suzano Petroquímica S.A .); Laércio Albino ( Banco Bradesco S.A.); Luciano Coutinho (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social — BNDES); Luiz Carlos Barboza (Sebrae Nacional); Marco Antonio Bologna (TAM Linhas Aéreas); Marcos De Marchi (Rhodia Poliamida e Especialidades Ltda); Mauro Silvério Figueiredo (Fleury S.A.); Paulo Pinheiro de Andrade (Grupo Ibope); Raul Calfat (Votorantim Participações S.A.); Ricardo Guimarães (Thymus Branding Ltda); Rubens Approbato Machado Junior (Petroquímica União S.A .); Sidnei Basile (Editora Abril S.A); Ulisses Tapajós Neto (Masa da Amazônia Ltda); Weber Porto (Degussa Brasil Ltda). No Conselho Fiscal estão: Iêda A.Patrício Novais (Trevisan); Estella Maria Lemos Monteiro Soares de Camargo (Lilla Huck, Otranto, Camargo e Messina Advogados ); Renato Roberto Cuoco (Banco Itaú S.A).

Sobre a FNQ

A FNQ — Fundação Nacional da Qualidade é um centro brasileiro de estudo, debate e irradiação de conhecimento sobre excelência em gestão. Criada em 1991, a FNQ é uma instituição sem fins lucrativos cujo objetivo é disseminar amplamente os Fundamentos da Excelência em Gestão para organizações de todos os setores e portes, contribuindo para o aperfeiçoamento da gestão, para o aumento da competitividade das organizações e, conseqüentemente, para a melhoria da qualidade de vida do povo brasileiro. A instituição é responsável pela organização, promoção e avaliação do Prêmio Nacional da Qualidade® (PNQ), que reconhece anualmente as melhores práticas de excelência em gestão do País.

O Modelo de Excelência em Gestão® (MEG) disseminado pela FNQ tem como base 11 fundamentos da excelência (Pensamento Sistêmico; Aprendizado Organizacional; Cultura de Inovação; Liderança e Constância de Propósitos; Orientação por Processos e Informações; Visão de Futuro; Geração de Valor; Valorização das Pessoas; Conhecimento sobre o Cliente e o Mercado; Desenvolvimento de Parcerias e Responsabilidade Social), sendo constituído por oito critérios (Liderança, Estratégias e Planos, Clientes, Sociedade, Informações e Conhecimento, Pessoas, Processos e Resultados).

Saiba mais sobre a FNQ no site www.fnq.org.br.