Notícia

Jornal do Commercio (PE) online

Fiocruz cria teste molecular para detectar tuberculose

Publicado em 04 junho 2008

Pesquisadores do Centro de Pesquisa Aggeu Magalhães (CPqAM), da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em Pernambuco, desenvolveram e validaram um teste molecular para o diagnóstico da tuberculose, em especial a infantil. O método identifica um elemento genético da bactéria causadora da doença por meio de amostras clínicas e permite detectar de forma precoce os casos da enfermidade em que a presença do bacilo no organismo é baixa. O resultado do teste leva, no máximo, 24 horas, segundo a Agência Fapesp.

A tuberculose infantil atinge 1,3 milhão de crianças por ano no Brasil. No total, são 50 milhões de infectados, o que leva o País a ocupar a 16ª posição entre as 22 nações com mais alta incidência da doença no mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Atualmente, há dificuldade para o diagnóstico laboratorial da infecção em crianças. As radiografias pulmonares nem sempre são conclusivas e a cultura de sangue requer dias para obtenção do resultado, uma vez que a bactéria leva de oito a dez semanas para se multiplicar.

Um dos procedimentos mais comuns para se determinar a enfermidade, a cultura de lavado gástrico do paciente, tem eficácia em cerca de 40% dos casos. Na validação, o exame da Fiocruz mostrou 92,6% de sensibilidade - capacidade de detectar a doença - e 100% de especificidade, para descartar a presença do agente em pessoas saudáveis. O custo do teste deve ser mais alto do que os realizados hoje, estimam os pesquisadores, mas a economia com a rapidez do teste-diagnóstico pode balancear a equação. Os estudos de dispêndios estão em andamento.