Notícia

GVces - Centro de Estudos em Sustentabilidade

Finep apóia novo fundo de capital de risco

Publicado em 13 setembro 2007

Agência FAPESP

A Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), agência de inovação do Ministério de Ciência e Tecnologia, aprovou o investimento em mais um fundo de capital de risco (venture capital).

Administrado pela Invest Tech, o Capital Tech pretende aplicar, nos próximos quatro anos, cerca de R$ 32,5 milhões em dez empresas inovadoras.  Do total de recursos, cerca de 30% serão aportados pela Finep.  O fundo é o 12º apoiado pela empresa.

"Vamos privilegiar o setor de tecnologia da informação, mas teremos liberdade de aproveitar boas oportunidades nas áreas em que elas surgirem", disse Maurício Lima, um dos gestores do Capital Tech.  O fundo concluiu a fase de captação de recursos e deve começar a operar no primeiro trimestre de 2008.  Em agosto, o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) aprovou um financiamento de US$ 2,1 milhões para o fundo.

O objetivo é beneficiar empresas fluminenses e paulistas que faturem entre R$ 1 milhão e R$ 10 milhões.  O aporte máximo por empreendimento será de R$ 4,8 milhões, mas a média deverá ficar em torno de R$ 3 milhões.  O foco está em negócios que, embora ainda pequenos, apresentem um ciclo comercial completo.  "Não apoiaremos idéias, apenas empresas que possuam faturamento, produto, canal de distribuição e clientes", explicou Lima.

Mesmo antes de lançar o fundo, os gestores já estão em busca de bons negócios.  Até o momento, foram analisadas 35 empresas, das quais três iniciaram conversações mais efetivas.

A Finep afirmou que a aposta no venture capital é uma alternativa de apoio às pequenas empresas inovadoras.  Segundo a empresa, atualmente empreendimentos de porte reduzido ficam impedidos de contrair empréstimos no sistema bancário, pois não possuem as garantias reais exigidas.

A Finep aporta recursos em fundos de capital de risco, que são administrados por gestores especializados em garimpar bons projetos nos mais diversos setores.  Os fundos, por sua vez, repassam o dinheiro às empresas.  Na prática, os investidores tornam-se sócios dos empreendimentos por meio da compra de participações, o que significa dividir lucros e perdas.

A Finep destinou R$ 112 milhões para 12 fundos, que juntos já investiram em 31 empreendimentos.

Mais informações: www.finep.gov.br