Notícia

Amazonas Atual

Financial Times

Publicado em 20 janeiro 2016

Neste mês, um Relatório do jornal inglês, Financial Times, consolidado como um periódico de jornalismo investigativo, com artigos que são verdadeiros estudos sistemáticos, sem o ranço do jargão acadêmico, trouxe uma análise do potencial do Brasil em Biotecnologia. Faz menção às novas parcerias de longo prazo entre os setores público e privado, e reconhece a atuação das instituições científicas, tecnológicas e de inovação, com as respectivas entidades de apoio do setor de biotecnologia do Brasil. Apesar de tudo, devemos reconhecer e buscar mecanismos de aproximação com o Brasil do Sudeste, que começa a apresentar avanços notáveis, sobretudo nas redondezas de universidades como as de Campinas e São Carlos, no estado de São Paulo, especializadas em produtos farmacêuticos para doenças tropicais e em produtos de saúde vegetal e animal para o setor de agronegócios. Todos conhecem o acervo da biodiversidade amazônica e se deparam com a escassez de cientistas e precariedade de infraestrutura regional. O jornal inglês destaca que a área de biotecnologia oferece boas oportunidades para pequenos investidores, mas o setor enfrenta um impasse: os fundos governamentais para pesquisa estão se esgotando rapidamente por causa da crise financeira e a desvalorização do real. O orçamento de 2016 para o Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação foi cortado em 24%. “A biotecnologia relacionada com a agricultura é a nossa melhor vantagem competitiva”, disse Carlos Henrique de Brito Cruz, diretor científico da Fapesp, a fundação de pesquisa de São Paulo. Mesmo assim, diz o jornal, “a revolução biológica é a solução” para a crescente rejeição de consumidores brasileiros ao uso de pesticidas na agricultura, o que, por sua vez, levou ao crescimento de pestes resistentes a certos tipos de químicos. O Peru, vizinho insistente para aproximar bionegócios e oportunidades, já é um dos maiores produtores de alimentos orgânicos do planeta. Eis, pois, uma, entre as infinitas possibilidades de diversificação do modelo ZFM, com possibilidade robusta de novas receitas, novos produtos, um novo tempo a favor da Amazônia, do Brasil e da Humanidade.

Esta Coluna é publicada às quartas, quintas e sextas-feiras, de responsabilidade do CIEAM.

Hoje, excepcionalmente dedicada a mensagem do presidente Wilson Périco. cieam@cieam.com.br