Notícia

Vitória News

Filme plástico produzido com nova tecnologia pode inativar coronavírus

Publicado em 05 novembro 2020

Aquele filme plástico de PVC transparente, que pode ser esticado para embalar alimentos, como carnes, frutas e frios, e para proteção de superfícies é capaz de inativar o novo coronavírus. Testes conduzidos no laboratório de biossegurança de nível 3 (NB3) do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo (ICB-USP), revelaram que o material é capaz de eliminar 79,9% de partículas do SARS-CoV-2 em três minutos e 99,99% em até 15 minutos.

Esse filme plástico é um pouco diferente do tradicional que se têm em casa, pois é um material produzido com nova tecnologia e comercializado pela indústria de plásticos Alpes. O material possui micropartículas de prata e sílica em sua composição, tecnologia desenvolvida e licenciada pela empresa paulista Nanox, apoiada pelo Programa FAPESP Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE).

Para testar a ação virucida do filme plástico contra o novo coronavírus foram realizados ensaios seguindo a norma técnica de medição da atividade antiviral em plásticos e outras superfícies não porosas, que estabelece que o material tem que demonstrar essa ação em até quatro horas. Os resultados das análises por quantificação do material genético viral por PCR indicaram uma redução de quase 100% das cópias do SARS-CoV-2 que entraram em contato com amostras do filme plástico com as micropartículas de prata e sílica incorporadas após 15 minutos de exposição ao material.