Notícia

Agrolink

Ferramenta possibilita análise de clima e ambiente na internet

Publicado em 23 maio 2014

Por Leonardo Gottems

Pesquisadores brasileiros e britânicos lançaram na internet uma ferramenta capaz de fazer análises integradas de dados sobre clima, meio ambiente e saúde pública. Denominada PULSE-Brasil (Platform for Understanding Long-term Sustainability of Ecosystems), a plataforma fornece cenários climáticos futuros para orientar a tomada de decisão.

O PULSE-Brasil permite visualizar dados de clima entre os anos 1950 e 2012, permitindo projeções baseadas em modelos mais recentes do IPCC [Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas]. Com isso, é possível fazer avaliação de impactos e investigar que interferência teve determinado evento climático.

Há informações de temperatura máxima, mínima e média, dados sobre precipitação pluviométrica, vazão dos rios e casos de doenças consideradas sensíveis à variação de temperatura e de chuva. A pesquisa foi desenvolvida pela equipe do projeto “Impact of climate extremes on ecosystem and human health in Brazil”, apoiado pela FAPESP e pelo Natural Environment Research Council (NERC), do Reino Unido.

“O projeto nasceu de uma colaboração existente há mais de uma década entre pesquisadores do Inpe e de Exeter para estudos sobre a Amazônia. O apoio do NERC e da FAPESP foi fundamental para garantir a continuidade das pesquisas, que têm como objetivo democratizar o conhecimento sobre o clima e informar decisores políticos e a sociedade em geral, uma vez que a Amazônia é um tema que interessa a todo o mundo”, afirmou o coordenador Jose Antonio Marengo Orsini, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

“Os dados locais observados nas estações existentes são interpolados por algoritmos numéricos e, assim, são geradas informações para onde não existe medição. É uma forma cientificamente válida de compensar as áreas em que faltam dados de séries temporais. Quanto mais recentes são os dados, mais fidedignos, pois há mais estações de medição que contribuem para a validação dos dados interpolados”, explicou Duarte Costa, gerente do projeto pelo lado britânico e pesquisador da Faculdade de Engenharia, Matemática e Ciências Físicas da University of Exeter.

As projeções de clima futuro são baseadas no segundo cenário (RCP4.5) apresentado no último relatório do IPCC, que prevê até 2100 um aumento da temperatura média global entre 1,1 °C e 2,6 °C e uma elevação do nível do mar entre 32 e 63 centímetros. “É um cenário mediano, não é dos mais pessimistas. Mas, em vez de consultar vários cenários, a ferramenta permite consultar a projeção de cerca de 25 diferentes modelos – desenvolvidos pelos principais centros mundiais de pesquisa sobre o tema – dentro de um mesmo cenário”, explica Costa.

“Permite também ao usuário selecionar o modelo que quer analisar escolhendo entre o que mais subestima, sobrestima ou se aproxima da mediana da projeção de uma determinada variável e entre um conjunto de modelos”, completa. A análise foi publicada no periódico Scientific Reports, da Nature.

Acesse aqui: Pulse Brasil