Notícia

Biodieselbr

Fernandópolis/SP vai produzir biodiesel com óleo de cozinha

Publicado em 18 setembro 2009

Fernandópolis está se preparando para transformar óleo de cozinha usado em biodiesel. A iniciativa inédita envolve toda a comunidade na doação do produto que atualmente é jogado no lixo ou no esgoto. O projeto de educação ambiental coordenado pela Prefeitura de Fernandópolis visa mudar os hábitos da população ao despertar a responsabilidade de todos na conservação da água e do solo.

Com apoio da FAPESP - Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de São Paulo e da Unicamp, a usina de biodiesel será gerida pelo consórcio entre a Prefeitura de Fernandópolis, FEF, Couros Premium, Alcoeste e Sabesp.

Na manhã da última quarta-feira, os parceiros envolvidos se reuniram na Prefeitura, no gabinete do prefeito de Fernandópolis, Luiz Vilar e finalizaram os últimos detalhes do consórcio e da implantação da usina. A idéia tem o envolvimento das diretorias de Educação, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável.

A usina de biodiesel vai funcionar as margens da rodovia Euclides da Cunha num terreno de 5 mil m2, oferecido pela Prefeitura de Fernandópolis. A FAPESP custeará 50% do projeto. Os outros 50% ficarão a cargo das empresas participantes do consórcio, que pretende inaugurar a usina até o início de 2010.

"Estamos implantando a usina de biodiesel, onde o mais importante é o envolvimento da comunidade ao mudarmos nossos hábitos no destino do óleo de cozinha usado. Com a participação da comunidade a nossa realidade ambiental vai sendo transformada e a conscientização passa a ser comum a todos", destacou o prefeito Luiz Vilar.

Coleta Solidária

O óleo usado recolhido das residências e do comércio deve produzir 10 mil litros de biodiesel ao mês em Fernandópolis e vai abastecer a frota dos parceiros envolvidos.

Serão criados postos de coleta nos bairros, onde a população fará a entrega do óleo de cozinha usado em casa. O primeiro passo envolve as escolas, onde as crianças serão multiplicadoras das informações para as famílias, que por sua vez serão incentivadas a colaborar com a conservação do meio ambiente através do uso consciente do óleo de cozinha em Fernandópolis.

A conscientização de quem trabalha na cozinha é outro passo importante na implantação do projeto, que quer chegar até as equipes de restaurantes, lanchonetes e outros serviços alimentícios. A estimativa é coletar óleo usado de mais de 30 pontos comerciais em Fernandópolis.

Para o professor da Unicamp, engenheiro Antônio Maciel, que coordena o projeto em Fernandópolis, "além de darmos uma destinação econômica e social ao lixo, impediremos que seja atirado à rede de esgoto, fato que tanto transtorno traz à Sabesp e à população, conseqüentemente", disse.