Notícia

A Tribuna (Santos, SP)

Feitos científicos

Publicado em 17 julho 2000

O Brasil foi assunto de capa da última edição da conceituada revista científica britânica Nature, que não poupou elogios às pesquisas aqui levadas a efeito sobre o seqüenciamento do genoma da Xylella fastidiosa, bactéria causadora da praga "amarelinha", que ataca os laranjais. Mas a demonstração da capacidade dos pesquisadores brasileiros foi mais adiante também na área da saúde, com o desenvolvimento de estudos sobre vacinas gênicas capazes de combater os vírus da Aids, tuberculose e de hepatites, entre outras moléstias. Ambos os fatos científicos foram considerados de primeira Unha, os mais importantes ocorridos no mundo na semana passada, demonstrando que, em determinadas áreas, o País está em alto nível, O Projeto Xylella é financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e as vacinas gênicas vêm sendo estudadas há anos por biologistas da USP, uma e outra, instituições oficiais do Governo paulista. O seqüenciamento da bactéria que ataca os laranjais terá efeitos econômicos importantes, já que os cítricos representam um dos principais itens da nossa balança de exportação. Em curto ou médio prazo, os produtores poderão controlar com maior facilidade e economia essa praga, que causa um prejuízo anual de R$ 180 milhões, conforme esclarece a Fapesp. Logicamente a descoberta será patenteada pelo órgão, assim como as vacinas gênicas, gerando a perspectiva da obtenção de um grande volume de divisas para o País no futuro. Em paralelo, os pesquisadores brasileiros estarão dando relevantes contribuições à ciência e ampliando o respeito que já usufruem nos campos onde atuam. O Governo fica então na obrigação de fazer coro aos aplausos internacionais a esses êxitos e incrementar ainda mais os investimentos em pesquisas. Os cientistas precisam ser melhor remunerados e receber todos os estímulos possíveis para que produzam trabalhos de ponta. Os países ricos sempre priorizaram as pesquisas e com certeza é essa postura a causa da prosperidade que alcançaram. São Paulo é o líder nacional em pesquisas e um exemplo a ser seguido, sendo evidente que seu poderio econômico e sua infra-estrutura no terreno científico funcionam como fortes atrativos para estudiosos do restante do País. Não é sem razão que a Capital paulista é centro hospitalar de referência na América do Sul, enquanto núcleos de pesquisas agrícolas como o de Piracicaba se destacam pelas suas atividades. Aos poucos, porém, outros Estados começam a se destacar nessa área, sendo válido esperar que, caso não falte apoio tanto do poder público quanto da iniciativa privada, os frutos positivos de todo o esforço científico não deixarão de surgir em escala ainda maior. Com isso, ganham o País e a sociedade.