Notícia

Esteta

Fausto Castilho traduz Ser e Tempo, de Heidegger

Publicado em 31 agosto 2012

A Editora da Unicamp está lançando a primeira edição bilíngue (alemão-português) de Sein und Zei (Ser e Tempo), considerada a obra mais importante de Martin Heidegger, para muitos o principal filósofo do século 20.

O responsável pela tradução é Fausto Castilho, professor emérito da Unicamp, que frequentou o curso de Heidegger na Universidade de Friburgo, na Alemanha.

Na opinião de Castilho, Ser e Tempo é um livro singular "porque pressupõe a leitura por Heidegger de toda a história da filosofia". O lançamento ocorre em parceria com a Vozes, editora que detém os direitos de publicação de títulos de Heidegger no Brasil.

Em sua graduação em filosofia na Universidade de Sorbonne, na França, Fausto Castilho foi aluno de Merleau-Ponty, Jean Piaget e Gaston Bachelard. Paralelamente, como convém a um futuro filósofo, cuidou de aprender o alemão com um grupo de colegas, quando já começou a traduzir a obra-prima de Heidegger, ao mesmo tempo em que a estudava.

Castilho fez a tradução por partes, conforme as necessidades de estudante, professor e palestrante, até se dar conta, no início dos anos 1980, de que havia traduzido praticamente todo o livro.

Em entrevista ao Jornal da Unicamp, Castilho conta como nasceu seu interesse por Heidegger, dimensiona a importância de Ser e Tempo na Filosofia e apresenta uma explicação para a adesão do filósofo alemão ao nazismo.

Perto de completar 83 anos de idade, Castilho retoma neste semestre os estudos sobre a interpretação do Brasil - o outro tema de seu interesse -, prevendo inclusive a realização de seminários multidisciplinares a respeito.Ser e Tempo

Autor: Martin Heidegger

Tradução, organização, nota prévia, anexos e notas: Fausto Castilho

Lançamento: 2012

Páginas: 1200 páginas

Edição: Editora da Unicamp e Editora Vozes

Preço: R$ 160 (de 5 a 28 de setembro por R$ 96 nas livrarias da Editora da Unicamp, na Biblioteca Central e no Instituto de Estudos da Linguagem)

Fonte: Agência FAPESP