Notícia

Confap - Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa

Fapesq e Fapesp lançam chamada de R$ 4 milhões para pesquisa colaborativa entre pesquisadores da Paraíba e São Paulo

Publicado em 11 setembro 2019

A Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado da Paraíba (Fapesq) e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) divulgam a oportunidade de pesquisa colaborativa aos pesquisadores vinculados a Instituições de Ensino Superior ou Pesquisa de ambos os Estados, interessados em submeter propostas que visem à formação ou ao fortalecimento de redes de pesquisa colaborativa entre os Estados da Paraíba e de São Paulo. A Fapesq e a Fapesp esperam estimular a colaboração em pesquisa entre pesquisadores sediados nos Estados da Paraíba e de São Paulo, financiando projetos colaborativos, com 24 meses de duração, que contribuam para o avanço do conhecimento científico e tecnológico nos respectivos estados e no Brasil. Serão investidos recursos na ordem de R$ 4 milhões.

O Governo do Estado por meio da Fapesq fará um aporte global para esta chamada na ordem de R$ 2 milhões, cogitando um valor máximo por proposta de até R$ 200 mil. A Fapesp fará o aporte necessário para acomodar o número de propostas possíveis dentro do orçamento da Fapesq, permitindo um valor máximo de R$ 200 mil por proposta (incluindo Reservas Técnicas, Benefícios Complementares e possíveis bolsas). Aplicam-se as condições usuais da modalidade Auxílio à Pesquisa Regular (www.fapesp.br/apr) também quanto ao orçamento. O aporte da Fapesq e da Fapesp deverá ser proporcional ao esforço em pesquisa do respectivo estado, não havendo obrigação de igual financiamento de cada uma das duas FAPs. As etapas da pesquisa sob responsabilidade das diferentes equipes podem ter custo e duração diferentes entre si, desde que haja demonstrada coerência de propósito. Nesse contexto espera-se que cada equipe cumpra com os objetivos sob sua responsabilidade em prazos adequados ao projeto de pesquisa do qual façam parte.

Na Fapesq as propostas devem ser apresentadas sob a forma de projeto de pesquisa, e encaminhadas à FAPESQ através do sistema SIGFapesq (http://sigfapesq.ledes.net) seguindo as normas e as condições estabelecidas nesta chamada. Caso o proponente já possua cadastro no sistema SIGFapesq, basta recuperar a senha através (http://sigfapesq.ledes.net). O pesquisador parceiro do Estado de São Paulo precisa se cadastrar no sistema SIGFapesq, por meio de convite gerado pelo proponente da Paraíba.

Na Fapesp as propostas deverão seguir as normas e condições da modalidade Auxílio à Pesquisa Regular (www.fapesp.br/apr), além das orientações específicas desta chamada de propostas. A submissão de propostas deve ser feita exclusivamente através do sistema SAGe (www.fapesp.br/sage) através do seguinte caminho específico: Nova Proposta Inicial > + Outras Linhas de Fomento > + Acordos de Cooperação > + FAPs + Fapesq – Projeto de Pesquisa – Regular > Chamada de Propostas (2019). O pesquisador parceiro do Estado da Paraíba precisa se cadastrar no sistema SAGe para que possa ser indicado na proposta como membro da equipe: o cadastro deve ser feito através da opção “Sem cadastro?” da tela inicial, sendo que somente os campos indicados por “*” devem ser necessariamente preenchidos.

O início da submissão de propostas será a partir da próxima segunda-feira (26) para os pesquisadores da Paraíba. Data limite para submissão das propostas: 28/10/2019, até às 17h para pesquisadores da Paraíba (Fapesq), e 23h59 para pesquisadores de São Paulo (Fapesp); Divulgação dos resultados: A partir de 02/03/2020. Os pesquisadores devem ter título de doutor e serem vinculados a uma Instituição de Ensino Superior ou Instituto de Ciência e Tecnologia. Informações adicionais podem ser obtidas através dos endereços eletrônicos fapesq@fapesq.rpp.br (Fapesq) e chamada-fapesq@fapesp.br (Fapesp).

Acesse aqui a Chamada.

Áreas do conhecimento

Nesta Chamada a FAPESQ e a FAPESP receberão propostas nas áreas de:

• Recursos hídricos;

• Engenharia;

• Saúde;

• Biotecnologia;

• Desenvolvimento regional sustentável;

• Semiárido e bioma caatinga;

• Agropecuária, agronegócio e saúde animal;

• Direitos humanos;

• Economia criativa;

• Energia sustentável;

• Relações internacionais;

• Tecnologia da informação;

• Governança na internet e digitalização.

Fonte: Comunicação Fapesq.