Notícia

Centro Alemão de Ciência e Inovação - São Paulo

FAPESP Week: Energias renováveis conquistam espaço

Publicado em 28 outubro 2014

Agência FAPESP – Pesquisadores da Alemanha e do Brasil se reuniram na FAPESP Week Munich, no dia 17 de outubro, em um painel para apresentar e debater desafios, soluções e oportunidades em energias renováveis e sustentáveis. O Centro Alemão de Ciência e Inovação – São Paulo (DWIH-SP) é parceiro da FAPESP Week Munich e participa do evento.

“Vivemos um momento de grande crescimento no mundo como um todo, tanto populacional como econômico, mas não observamos um crescimento proporcional no uso de energias renováveis. A fonte energética que mais cresce é o carvão, o que diz muito sobre a situação que vivemos atualmente”, disse Thomas Hamacher, professor na Universidade Técnica de Munique, moderador do painel e um dos palestrantes.

“Energia é um assunto muito importante no cenário político atual e esses são pontos com os quais temos que lidar. Temos de encontrar soluções globalmente e não individualmente. Não temos uma resposta ainda, mas certamente um caminho é trabalhar mais com energias renováveis”, afirmou.
No Brasil, país considerado exemplar no uso de energias renováveis – em especial por conta da geração de eletricidade por hidrelétricas e pelo uso do etanol como combustível em veículos –, a pesquisa na área também tem sido intensa.

Um exemplo está no Programa FAPESP de Pesquisa em Bioenergia (BIOEN), que foi apresentado no painel no Deutsches Museum, em Munique, por um dos membros de sua coordenação, Marie-Anne van Sluys, professora no Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo.

Universidade Técnica de Munique

A Universidade Técnica de Munique (TUM), fundada em 1868, está entre as melhores universidades da Europa.

Com a América Latina, a TUM mantém acordos de parceria com 10 universidades dos países de língua hispânica e 7 do Brasil, sendo parceiro dentro do programa brasileiro “Ciência sem Fronteiras”, oferecendo mais de 100 vagas na graduação e 25 na pós-graduação. No Brasil, a instituição conta desde 2012 com um escritório em São Paulo, integrado ao DWIH. 

A UNICAMP é parceira estratégica da escola de pós-graduação da TUM. A faculdade de engenharia mecânica da TUM e a USP investigam aspectos da mobilidade futura no projeto “Global Drive”. Desde 2011, a TUM coordena a rede científica interdisciplinar “TUMBRA”, em conjunto com três universidades brasileiras (UFRGS, UNICAMP e UFRN), analisando a biodiversidade e o uso sustentável do solo. A importância da região ganhou força em fevereiro de 2012, com a inauguração do escritório para América Latina, dentro do DWIH em São Paulo.

Para ler a reportagem na íntegra, acesse a Agência FAPESP.