Notícia

Agência Estado

Fapesp volta a financiar estudo sobre ecstasy

Publicado em 05 julho 2007

Fundação só decidirá se houve problemas após o fim do trabalho

SÃO PAULO - A Fapesp (fundação do governo paulista que financia estudos científicos) decidiu continuar financiando um trabalho que distribuía folhetos informativos a consumidores de ecstasy.

A bolsa para a pesquisadora Stella Pereira de Almeida e seu projeto foi suspensa no dia 18 junho. Segundo ela, seu projeto levou cerca de três meses para ser aprovado pela Fapesp, e todo o cronograma e conteúdo eram de conhecimento da instituição.

Como forma de reduzir os efeitos negativos, o folheto ensinava os usuários, por exemplo, a tomar metade da dose de ecstasy e esperar os efeitos para depois decidir se toma a outra metade. A Fapesp só decidirá se houve problemas após o fim do trabalho.

O ecstasy foi escolhido devido ao crescente consumo. Stella explica que desenhou seus folhetos de maneira a ganhar a confiança dos usuários. "Se eu escrevo 'droga mata' e ele já usou e não morreu, o folheto fica desacreditado. É melhor dizer que 'droga pode matar'."