Notícia

Administradores

Fapesp vai realizar projetos de pesquisa em parceria com instituto da Suíça

Publicado em 03 julho 2012

Agência Fapesp

A Fapesp recebeu, no dia 29 de junho, a visita de uma delegação do Instituto Federal Suíço de Tecnologia de Zurique (ETH Zürich).

Na ocasião, as duas instituições assinaram um memorando de entendimento para o lançamento de chamadas conjuntas de propostas de projetos a serem desenvolvidos por pesquisadores do Estado de São Paulo em cooperação com cientistas da instituição de pesquisa suíça.

Pelo acordo, a Fapesp financiará a parte das propostas selecionadas que serão desenvolvidas por cientistas do Estado de São Paulo e o ETH Zürich financiará a parte a ser realizada por cientistas da instituição.

Algumas das áreas de interesse dos suíços para realização de projetos conjuntos com pesquisadores do Estado de São Paulo são planejamento e mobilidade urbana, acessibilidade e integração social.

Professores e estudantes do ETH já realizam em parceria com pesquisadores brasileiros projetos arquitetônicos nas regiões do Maracanã-Mangueira e na comunidade de Cidade de Deus, no Rio de Janeiro, além de um projeto urbanístico para a favela do Jardim Colombo, que integra o Complexo de Paraisópolis, em São Paulo.

"Estamos muito interessados em ampliar as possibilidades de cooperação científica com pesquisadores do Brasil em áreas como planejamento urbano, por exemplo, que requer uma abordagem interdisciplinar para desenvolver soluções não só urbanísticas, como também sociais e ambientais", disse Ralph Eichler, presidente do ETH Zürich.

Carlos Henrique de Brito Cruz, diretor científico da Fapesp, destacou durante o encontro que a Fundação financia no âmbito do Programa Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPID) o Centro de Estudos da Metrópole (CEM), que realiza estudos nessas áreas de interesse dos pesquisadores suíços e que podem subsidiar os futuros projetos realizados no âmbito do acordo de cooperação.

"Estamos muito felizes com essa oportunidade de colaboração internacional entre pesquisadores do Estado de São Paulo com os do ETH Zürich", disse Brito Cruz.

Fundada em 1853, a instituição de pesquisa suíça é apontada como uma das 15 melhores universidades no mundo, de acordo com o ranking da Times Higher Education, e se destaca em áreas como matemática, engenharia, arquitetura, ciências naturais e de computação.

Com mais de 17 mil alunos e 428 professores em tempo integral, pela universidade técnica suíça já passaram como estudantes ou professores 21 ganhadores do prêmio Nobel, sendo oito em física, dez em química e três em outras áreas.

O mais famoso deles foi Albert Einstein (1879-1955), que estudou matemática entre 1896 e 1900 e foi professor de física teórica no ETH de 1912 a 1916.

Atualmente, um dos professores brasileiros da instituição é o engenheiro André Rocha Studart, que realizou doutorado-sanduíche na universidade suíça com Bolsa da Fapesp e integrou a comitiva de representantes do ETH na visita à Fapesp.

A comitiva suíça foi recebida por Celso Lafer, presidente da Fapesp, Brito Cruz e por Hernan Chaimovich, coordenador dos CEPIDs. Lafer e Brito Cruz fizeram uma apresentação sobre a Fapesp, além de suas principais modalidades de apoio à pesquisa e a contribuição do Estado de São Paulo na produção científica do país.

"O acordo com o ETH Zürich integra os esforços de internacionalização da ciência pela Fapesp, que pretende possibilitar que pesquisadores do Estado de São Paulo possam, cada vez mais, realizar projetos de pesquisa em cooperação com cientistas do exterior", disse Lafer.

Mais informações sobre o acordo: www.fapesp.br/acordos/eth.