Notícia

DCI

Fapesp testa novo equipamento de diagnóstico

Publicado em 15 agosto 2013

SÃO PAULO - A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), em parceria com o Hospital A.C. Camargo Cancer Center, está fazendo testes com uma nova tecnologia conhecida como tomografia de coerência óptica, que promete tornar o diagnóstico do câncer de pele mais preciso e menos invasivo. O equipamento permite uma espécie de biópsia virtual da lesão, confirmando a malignidade nos casos de dúvida e ajudando a definir as margens e as características do tumor.

Em vez de ondas sonoras, o equipamento emite um laser de baixa frequência com cerca de 1,3 mil nanômetros que é capaz de produzir uma imagem tridimensional com alta resolução. Isto permite realizar análises semelhantes às do exame histopatológico, feito com tecido obtido por meio da biópsia e, atualmente, considerado padrão ouro no diagnóstico do câncer de pele.

O exame com a tomografia dura dois minutos e produz imagens em tempo real e em cortes transversais, com até 2,5 milímetros de profundidade. Já a avaliação com microscopia confocal é mais trabalhosa, leva cerca de 40 minutos para ser concluída e gera apenas imagens em cortes horizontais, alcançando no máximo 1,5 mm de profundidade. O equipamento só é indicado na avaliação das chamadas lesões duvidosas, casos em que os médicos não conseguem confirmar a malignidade por meio das demais técnicas de diagnóstico por imagem. O equipamento precisa ainda ser estudado e compreendido, além de sua acurácia diagnóstica precisa ser validada.

Agências