Notícia

Jornal Brasil

FAPESP recebe visita do ministro belga da Educação

Publicado em 05 novembro 2013

Por Agência FAPESP

Uma delegação chefiada pelo ministro flamengo da Educação da Bélgica, Pascal Smet, visitou a FAPESP na sexta-feira (01/11) para iniciar entendimentos sobre um acordo de cooperação a fim de apoiar projetos desenvolvidos entre pesquisadores do Estado de São Paulo e da região de Flandres, no norte daquele país.

Participaram do encontro o embaixador belga no Brasil, Josef Smets, o cônsul Didier Vanderhasselt, os vice-reitores das universidades Católica de Louvain, Ghent, Hasselt, Bruxelas e Antuérpia, representantes de associações de instituições de ensino superior e de entidades do governo flamengo. O grupo foi recebido pelo presidente da FAPESP, Celso Lafer, pelo assessor especial da Diretoria Científica, Hernan Chaimovich, e pela coordenadora adjunta da área Ciências da Vida na Fundação, Marie-Anne Van Sluys.

"A FAPESP tem interesse em promover a cooperação entre cientistas de alto nível do Estado de São Paulo e de outros países porque entende que não há fronteiras para a ciência e para o avanço do conhecimento", disse Celso Lafer.

De acordo com Lafer, os acordos internacionais de cooperação mantidos atualmente pela FAPESP permitem tanto o apoio ao intercâmbio entre pesquisadores e à organização de reuniões científicas com universidades e instituições de pesquisa quanto o financiamento a projetos de pesquisa selecionados pela Fundação e por uma instituição parceira de fora do país, seja uma agência de fomento ou uma empresa.

Durante o encontro, um dos caminhos sugeridos para fazer avançar as conversas sobre um acordo de cooperação entre a FAPESP e a região de Flandres, na Bélgica, foi a organização de workshops com a participação de cientistas brasileiros e belgas sobre temas de interesse mútuo.

"Uma reunião científica entre pesquisadores pode ser uma forma de iniciar a cooperação", disse Hernan Chaimovich. Para ele, ao lado do aumento do impacto da produção científica e do número de pesquisadores em universidades e nas empresas, a colaboração internacional é um dos desafios a serem enfrentados para o avanço do conhecimento.

Além da possibilidade de acordos de cooperação, outros mecanismos institucionais da FAPESP para a promoção da cooperação internacional foram apresentados durante o encontro.

Entre esses instrumentos, foram destacados os programas Jovens Pesquisadores em Centros Emergentes, Escolas São Paulo de Ciência Avançada e São Paulo Excellence Chairs, que oferece a pesquisadores com produção científica destacada oportunidades de permanecer em uma instituição de pesquisa paulista por até três meses por ano, ao longo de três a cinco anos.

Fonte: Agência FAPESP