Notícia

Esteta

FAPESP recebe autoridades irlandesas para discutir cooperações em pesquisa

Publicado em 23 março 2015

Por Diego Freire, da Agência FAPESP

Como parte de uma missão do Ministério da Educação e Habilidades da Irlanda no Brasil, autoridades e representantes de instituições de pesquisa irlandesas estiveram na FAPESP na quinta-feira (19/03) para tratar com os dirigentes da Fundação sobre possibilidades de cooperação científica.

De acordo com a ministra Jan O'Sullivan, as instituições de pesquisa irlandesas têm grande interesse em atuar em parceria com pesquisadores brasileiros e, em especial, do Estado de São Paulo, com auxílio da FAPESP.

“Estamos elaborando a próxima fase da nossa estratégia em pesquisa e podemos aprender bastante sobre como a FAPESP trabalha e sobre sua experiência bem-sucedida no apoio a pesquisadores para aproveitarmos melhor as grandes possibilidades de cooperação entre brasileiros e irlandeses, que beneficiarão a ciência dos dois países e suas populações”, disse à Agência FAPESP.

A FAPESP e a Science Foundation Ireland (SFI), órgão do governo irlandês responsável pelo fomento à pesquisa científica, firmaram em julho de 2014 um acordo de cooperação com o objetivo de facilitar parcerias entre as duas instituições para uma maior colaboração científica, tecnológica e de inovação.

Conforme o documento, FAPESP e SFI deverão apoiar projetos conjuntos por meio de cofinanciamento, segundo seus procedimentos internos e competências orçamentárias. De acordo com Carlos Henrique de Brito Cruz, diretor científico da FAPESP, que apresentou um panorama das cooperações internacionais promovidas e apoiadas pela Fundação, estão sendo estudados os meios pelos quais o acordo com a SFI apoiará futuros projetos.

O acordo entre a FAPESP e a SFI tem validade de dois anos, até 30 de junho de 2016. Celso Lafer, presidente da FAPESP, disse na reunião com as autoridades irlandesas que as duas instituições deverão lançar em breve uma chamada de propostas conjunta.

“Irlanda e Brasil são parceiros estratégicos em diversas áreas e a aproximação entre as comunidades científicas irlandesa e de São Paulo certamente fortalecerá a pesquisa dos dois países”, disse.

Para Brian Glynn, embaixador da Irlanda no Brasil, as relações entre a FAPESP e as instituições irlandesas vão ao encontro do objetivo de ampliar a presença brasileira no país para além da graduação.

“Já existe uma cooperação bastante importante no nível do intercâmbio estudantil, mas precisamos promover mais colaborações na área de pesquisa e desenvolvimento. O contato promovido neste encontro entre a FAPESP e algumas das principais instituições de pesquisa da Irlanda é promissor.”

FAPs

De acordo com Sergio Luiz Gargioni, presidente do Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), a parceria irlandesa com São Paulo poderá ser replicada pelos demais estados brasileiros.

“A importância da FAPESP na promoção de colaborações científicas internacionais é amplamente reconhecida e suas estratégias já estão sendo adotadas por outras fundações, dentro das mesmas regras já testadas e bem-sucedidas. O Confap tem atuado para integrar as FAPs em torno desse objetivo comum e para abrir ainda mais espaço na cooperação internacional, a exemplo de São Paulo”, afirmou, durante o encontro na FAPESP.

Gargioni, Lafer e outras autoridades brasileiras estiveram na Irlanda em fevereiro, durante a 1ª Semana de Ciência Brasil-Irlanda, quando o Confap assinou um memorando de entendimento com a SFI que prevê o estabelecimento de novos acordos com outras agências de fomento no Brasil para a promoção de pesquisas conjuntas.

No país, além da FAPESP, a delegação irlandesa se reuniu com representantes do Ministério da Educação, em Brasília, e da Universidade de São Paulo (USP) e da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), entre outras instituições, em São Paulo. Foi a primeira vez que uma delegação do governo irlandês realizou visitas oficiais ao Brasil durante as comemorações do Dia de São Patrício, padroeiro da Irlanda, festejado em 17 de março. Na data, a ministra inaugurou oficialmente o primeiro consulado irlandês em São Paulo.

Na FAPESP, a ministra O'Sullivan e o embaixador Glynn estiveram acompanhados da consulesa-geral da Irlanda, Sharon Lennon, e de representantes de três instituições de pesquisa do país: Institute of Technology Sligo, Trinity College Dublin e University College Dublin.


Agência FAPESP