Notícia

Jornal Brasil

FAPESP realiza workshop sobre o Modelo Brasileiro do Sistema Terrestre

Publicado em 09 fevereiro 2013

A FAPESP, no âmbito do Programa FAPESP de Pesquisa em Mudanças Climáticas Globais (PFPMCG), realizará workshop sobre o Modelo Brasileiro do Sistema Terrestre (Brazilian Earth System Model - BESM) no dia 19 de fevereiro de 2013, das 8 às 17 horas.

O evento será no Auditório da FAPESP, rua Pio XI, 1500, Alto da Lapa, São Paulo. As palestras terão tradução simultânea.

O objetivo do workshop é informar aos pesquisadores dos programas PFPMCG, BIOTA, BIOEN e ao público em geral os progressos alcançados no desenvolvimento do Modelo Brasileiro do Sistema Terrestre.

O projeto, em desenvolvimento sob a coordenação do Centro de Ciências do Sistema Terrestre (CCST) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), é um dos pilares do PFPMCG.

Ele foi idealizado para não apenas colocar o Brasil no cenário internacional do desenvolvimento de modelos, como também para tratar com maior exatidão os processos regionais, de interesse para o país, a fim de ter uma base científica melhor para enfrentar os desafios e consequências das mudanças globais em curso.

O evento contará com a participação do professor Guy Brasseur, diretor do Centro de Serviços Climáticos (CSC) da Alemanha e ex-diretor do Centro Nacional de Pesquisas Atmosféricas (NCAR), dos Estados Unidos, como convidado especial.

IPCC

Em 2012, pela primeira vez desde a concepção do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC, da sigla em inglês), o Brasil tornou-se uma nação contribuinte com cenários climáticos globais para o painel da Organização das Nações Unidas, com projeções computadas com uma versão aprimorada do BESM.

A versão integral do modelo está sendo preparada por uma rede de instituições brasileiras, sob a liderança do CCST. Feitas no supercomputador Tupã (Cray XE6) da Rede Clima/PFPMCG no Inpe, as simulações foram submetidas ao Projeto de Intercomparação de Modelos Acoplados, Fase 5 (CMIP5) para o período que vai de 1960 a 2100.

O modelo consegue estabelecer - em intervalos determinados de tempo - a influência das combinações entre temperatura da superfície do mar, intensidade dos ventos, temperatura do ar, precipitação pluviométrica e radiação solar, entre outras variáveis, que permitem prever o impacto das interações oceano-atmosfera sobre a distribuição de chuvas e temperaturas sobre o Brasil e o planeta.

A nova versão do BESM integra a dinâmica de funcionamento do clima na atmosfera e passa a incluir os processos de formação de nuvens; as formações de gelo marinho (fundamentais para o equilíbrio radioativo da atmosfera e determinação da velocidade do aquecimento global); a influência das variações no desenvolvimento da vegetação na América do Sul, agora integrando o conhecimento gerado sobre a Amazônia, como, por exemplo, do Programa de Grande Escala da Biosfera-Atmosfera da Amazônia (LBA), e as consequências das interações floresta-clima naquela região, cujo efeito regulador do clima global é uma importante contribuição brasileira para os modelos existentes hoje no mundo.

A participação no workshop é gratuita e as inscrições podem ser feitas em: www.fapesp.br/eventos/MBSE/inscricao.

Mais informações: ves@fapesp.br, 3838-4216/4362/4394.

Sugestões de estacionamento: Pio Park - Rua Pio XI, 1320 e Tonimar - Rua Jorge Americano, 89

Fonte: Agência FAPESP