Notícia

Esteta

FAPESP orienta empresas sobre apoio à pesquisa para inovação

Publicado em 14 dezembro 2015

Por Diego Freire, da Agência FAPESP

Representantes de empresas interessadas em se inscrever no 1º Ciclo de Análise de Propostas de 2016 do Programa FAPESP Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE) participaram na sexta-feira (11/12) de encontro na sede da Fundação para receber orientações sobre a submissão de projetos.

O prazo para submissão das propostas ao ciclo no Sistema de Apoio a Gestão (SAGe) da FAPESP se encerra no dia 1º de fevereiro. Até a data, os projetos podem ser corrigidos e submetidos novamente para análise.

Sérgio Queiroz, membro da Coordenação Adjunta da área de Pesquisa para Inovação da FAPESP, destacou no Diálogo sobre Apoio à Pesquisa para Inovação na Pequena Empresa a expansão do PIPE pelo território paulista.

“Em 2015 o PIPE completou 18 anos de existência em pleno processo de expansão a regiões distintas do Estado de São Paulo. Essa descentralização, fruto das parcerias firmadas com a indústria e também de um amadurecimento da cadeia envolvida no processo de inovação, evidencia o potencial paulista na área.”

Na ocasião, profissionais das áreas técnica e científica da FAPESP orientaram os participantes para o desenvolvimento de projetos com potencial de alcançar resultados inovadores.

“Ao longo dos quatro diálogos de 2015 pudemos observar um aumento no interesse das empresas em atividade em diferentes partes do Estado de São Paulo, inclusive de centros menores, que não possuíam projetos apoiados pelo programa”, avaliou Fábio Kon, do Instituto de Matemática e Estatística (IME) da Universidade de São Paulo (USP), também membro da Coordenação Adjunta da área de Pesquisa para Inovação da FAPESP.

Além da série de quatro encontros ao longo do ano na FAPESP, Kon chamou a atenção para outro canal de informações da instituição a interessados em submeter projetos ao PIPE: o site do programa (www.fapesp.br/pipe), recentemente reformulado e com vídeos em que são dadas orientações sobre o processo e esclarecidas dúvidas frequentes. Também é possível acessar as normas do programa, respostas a dúvidas frequentes, notícias sobre as chamadas e pesquisas aprovadas e cronogramas. Um resumo do PIPE é apresentado em um folheto digital.

Além de Queiroz e Kon, participaram do encontro Lucio Angnes, também da Coordenação Adjunta da área de Pesquisa para Inovação, Américo Martins Craveiro, Douglas Eduardo Zampieri e Ronald Martin Dauscha, da Coordenação da área de Pesquisa e Inovação. Dauscha representou ainda a Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras (Anpei).

Para ter apoio

As propostas de financiamento devem conter projetos de pesquisa que podem ser desenvolvidos em duas etapas.

Na Fase 1, em que é preciso demonstrar a viabilidade tecnológica de um produto ou processo, a duração do apoio é de nove meses e os recursos são de até R$ 200 mil. A Fase 2 diz respeito ao desenvolvimento do produto ou processo inovador, com duração máxima de 24 meses e recursos de até R$ 1 milhão.

É possível submeter projetos diretamente à Fase 2 caso o proponente já tenha realizado atividades tecnológicas que demonstrem a viabilidade do projeto.

Mesmo empresas ainda não constituídas formalmente podem apresentar propostas, na condição de “empresa a constituir” – um diferencial do PIPE. Outra característica importante é que o pesquisador proponente deve demonstrar conhecimento e competência técnica no tema do projeto, mas não precisa possuir título formal, seja de graduação ou pós-graduação.

O resultado dos projetos aprovados no 1º Ciclo de Análise de Propostas de 2016 do PIPE será divulgado em maio de 2016.

Mais informações em http://www.fapesp.br/pipe/chamada-1-2016.