Notícia

TN Petróleo online

Fapesp lança programas de apoio à inovação em pequenas empresas

Publicado em 11 julho 2012

A Fapesp lançou recentemente chamadas de propostas para apoiar pesquisas em microempresas sediadas no estado de São Paulo. Realizadas em parceria com a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), as chamadas do Programa PIPE/PAPPE Subvenção Econômica à Pesquisa para Inovação e do Programa PAPPE-PIPE III somam recursos de R$ 45 milhões.

A primeira, com R$ 30 milhões, visa apoiar o desenvolvimento de produtos, processos e serviços inovadores por empresas paulistas de acordo com as regras do programa Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE).

A segunda, apoiará empresas que tenham projetos PIPE Fase II Fapesp concluídos com sucesso ou em fase final de conclusão - cujo relatório final já tenha sido encaminhado. Serão destinados até R$ 15 milhões para financiar as propostas selecionadas. A data limite para recebimento de propostas nas duas chamadas é 13 de agosto de 2012.

A terceira chamada é do Programa PIPE, que foi ampliado pela instituição. O valor máximo de financiamento para cada projeto na Fase 1 (Análise de Viabilidade Técnico-Científica) passou de R$ 125 mil para R$ 200 mil. Para a Fase 2, de Desenvolvimento da Proposta de Pesquisa, o valor máximo aumentou de R$ 500 mil para R$ 1 milhão. A Fapesp reservou até R$ 20 milhões para atendimento às propostas selecionadas na chamada cujo prazo de recebimento termina no dia 10 de agosto.

De acordo com João Furtado, professor da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP) e membro da Coordenação Adjunta de Pesquisa para Inovação da Fapesp, as mudanças promovidas nos programas tiveram o objetivo de aumentar a atratividade e fazer com que as empresas possam utilizar de forma adequada os recursos disponibilizados nas chamadas.

A aceitação de propostas de empresas de pequeno porte com até 250 funcionários, por exemplo, permitirá que médias empresas também possam submeter seus projetos.

"A maior parte das empresas classificadas como pequenas no Brasil e que submetem projetos à Fapesp tem muito menos do que 250 funcionários. A ampliação permitirá a articulação entre grandes e médias empresas para realização de pesquisa para inovação", disse Furtado.

A integração entre pequenas e médias empresas com as grandes indústrias para propagar a inovação em toda a cadeia produtiva representa atualmente uma das principais preocupações da Anpei, disse Carlos Calmanovici, presidente da entidade.

Segundo Calmanovici, é fundamental que a inovação não apenas chegue, mas que parta das pequenas e médias empresas, que são fornecedoras das grandes indústrias e podem induzir o desenvolvimento de novos produtos e processos ao longo de toda uma cadeia produtiva, como as de aeronáutica, saúde ou alimentação.

"Em todas as cadeias produtivas, é indispensável que a inovação ocorra em todos os elos, incluindo os fornecedores e os clientes das grandes empresas, porque só assim é possível adensar tecnologicamente a produção de um país e agregar valor ao longo de todo um setor produtivo", avaliou.

Fonte: Redação/ Agência