Notícia

Portal do Governo do Estado de São Paulo

Fapesp lança Código de Boas Práticas Científicas

Publicado em 29 setembro 2011

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) lançou nesta terça-feira, 27, o seu Código de boas práticas científicas. Em entrevista coletiva concedida na sede da entidade, o presidente Celso Lafer e o diretor científico Carlos Henrique de Brito Cruz explicaram que a iniciativa visa contribuir para uma cultura de integridade ética na pesquisa científica.

 

O documento foi avaliado e aprovado pelas pró-reitorias de Pesquisa das três universidades estaduais paulistas (Unesp, USP e Unicamp), pela Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) e pela Academia Brasileira de Ciências.

 

Redigido em quarenta páginas, o texto busca sistematizar um conjunto de práticas e valores que já fazem parte do cotidiano do pesquisador. Lafer destacou que nos últimos anos a pesquisa paulista experimentou forte crescimento e, nesse ambiente, "ainda que os estudos descubram novas verdades, aqueles valores precisam ser preservados".

 

O documento será entregue aos pesquisadores financiados pela Fapesp e discorre brevemente sobre as "diretrizes para as atividades científicas" e "sobre as más condutas" ou transgressões aos valores definidos pelo Código. Entre as mais graves e mais freqüentes, são citados plágio, fabricação e falsificação de resultados.

 

O livro aborda, ainda, "a responsabilidade das instituições de pesquisa" e "a alegação, a investigação e a declaração de más condutas científicas". O Código ressalta que "a má conduta no campo da ciência não se confunde com o erro científico cometido de boa fé nem com divergências honestas em matéria científica".

 

Desvios éticos

 

Brito Cruz lembrou que o documento é baseado nos seguintes pilares: educação para as boas práticas científicas; e prevenção contra os desvios éticos. Isso deve ser feito por meio de orientação aos pesquisadores e, quando forem constatados casos incompatíveis com tais recomendações, investigação e sanção justa e rigorosa. "Uma das coisas que a Fapesp passará a exigir das instituições é que elas organizem eventos para promover valores sólidos no trabalho de pesquisa", enfatizou o diretor científico.

 

De acordo com o professor de Filosofia da USP, Luiz Henrique Lopes dos Santos, membro da coordenação adjunta da diretoria científica da Fundação, e colaborador na elaboração do Código, o tema integridade ética da pesquisa norteia o trabalho das grandes instituições mundiais. "Nos Estados Unidos, cada instituição tem seu código", completou Brito Cruz. No âmbito da internacionalização da pesquisa, Lafer ressaltou que é importante a comunidade científica internacional saber das preocupações pedagógicas da Fapesp.

 

Da Fapesp