Notícia

Administradores

Fapesp lança Bolsa Estágio de Pesquisa no Exterior

Publicado em 07 outubro 2011

Agência Fapesp

A Fundação de Amparo à Pesquisa de São Paulo (Fapesp) lança nova modalidade de Bolsa, a Bolsa Estágio de Pesquisa no Exterior (BEPE). A finalidade é apoiar a realização de estágios de pesquisa de curta e média duração no exterior, por bolsistas da instituição de Iniciação Científica, Mestrado, Doutorado/Doutorado Direto e Pós-Doutorado.

O estágio de pesquisa no exterior é obrigatoriamente parte integrante de bolsa de pesquisa regular no país, não podendo ser solicitado independentemente. A duração é variável, a partir de um mês, e de acordo com a modalidade de bolsa regular Fapesp usufruída pelo candidato.

A Fapesp considera prioritário o apoio à realização de estágios de pesquisa no exterior por seus bolsistas. As propostas de BEPE devem demonstrar que o estágio de pesquisa no exterior trará substancial contribuição para a pesquisa que o bolsista desenvolve no Brasil, objeto da Bolsa Regular no País.

A instituição no exterior deverá ter liderança internacional na área em que o bolsista realizará o estágio de pesquisa. A instituição e o pesquisador no exterior terão de manifestar formalmente a concordância com o projeto de pesquisa e o aceite do bolsista durante o estágio de pesquisa, sem custos para a Fapesp outros que os decorrentes da concessão da bolsa e seus benefícios.

O período da BEPE não será descontado da duração da bolsa no país. A bolsa no país será interrompida para o desenvolvimento do estágio no exterior e, no retorno do bolsista, será reativada pelo período integral restante da concessão.

Os valores das mensalidades da BEPE são: US$ 1.100 em Iniciação Científica; US$ 1.300 em Mestrado; US$ 1.600 em Doutorado ou Doutorado Direto; e US$ 2.800 (mais R$ 5.333,40) em Pós-Doutorado. A esses valores somam-se Reserva Técnica, auxílio instalação (para bolsas com duração de três meses ou mais) e seguro-saúde.

Valorização da experiência internacional

A Fapesp reconhece a importância do intercâmbio de pesquisadores em formação com grupos de pesquisa do exterior, que já era possibilitada pela interrupção de bolsas regulares que a Fundação concede no país para o usufruto de bolsas no exterior, financiadas por outras agências, assim como pelo uso da Reserva Técnica das bolsas no país para período de até seis meses no exterior, sem interrupção da bolsa Fapesp.

No curso do contato regular que a Fundação mantém com a comunidade científica, no intuito de identificar suas demandas e avaliar os efeitos das políticas de fomento que aplica, tornou-se clara a necessidade de adoção de novas modalidades de apoio à realização de estágios de pesquisa no exterior para pesquisadores em formação e para aqueles desenvolvendo estágios de pós-doutoramento.

Nas solicitações de bolsas no país, a Fapesp passará a incentivar a apresentação de propostas que contemplem, durante sua vigência, um estágio de pesquisa no exterior. A previsão de estágio de pesquisa no exterior, que deve integrar o projeto de pesquisa apresentado na proposta de Bolsa Regular no País, será considerada quesito positivo no processo de análise de mérito da solicitação da bolsa.

Mais informações: www.fapesp.br/bolsas/bepe