Notícia

A Folha (São Carlos, SP)

FAPESP investe R$ 400 mil em projeto de incubadora de Rio Claro

Publicado em 14 abril 2006

A FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) vai investir cerca de R$ 400 mil no desenvolvimento de um software para planejamento urbano e gestão ambiental O projeto é de autoria do geólogo Fabio Meaulo, que também é coordenador da Fortgeo, uma das empresas da Incubadora de Base Tecnológica da Unesp de Rio Claro (lncunesp). "E uma ferramenta que oferece todas as informações necessárias para o planejamento territorial", diz Meaulo.
É um dos maiores projetos de Geociências já aprovado pela FAPESP na modalidade de Inovação Tecnológica em Pequenas Empresas (PIPE), que se destina a financiar o desenvolvimento de pesquisas inovadoras nas áreas de ciência e tecnologia, desde que sejam executadas por pequenas empresas com alto potencial de retomo comercial ou social
O software da Fortgeo fornece informações precisas sobre o uso do solo e a localização de aquíferos subterrâneos. "Nossa principal preocupação é conscientizar as pessoas da necessidade da preservação ambiental", afirma Meaulo. O programa permite desde a definição de locais para a instalação de novas empresas até a escolha de áreas para aterros sanitários, funcionando como suporte às esferas pública e privada.
Meaulo já iniciou contato com as prefeituras da região de Rio Claro para ajudá-las na elaboração do novo plano diretor, que tem de ser entregue até outubro deste ano. "O software oferece subsídios para o trabalho dos técnicos das prefeituras", reforça Meaulo. Outra alternativa que seduz os governantes á possibilidade de atualização dos cadastros dos contribuintes, que pode ter reflexo direto na arrecadação de tributos como o IPTU. "A ferramenta ajuda a corrigir as constantes distorções entre os valores venal e de mercado dos imóveis", diz o geólogo.
O software da Fortgeo utiliza imagens de satélites e dados colhidos em campo por uma equipe de geólogos, que indentifica tipos, de solo e rochas e fontes potenciais de poluição. Informações fundamentais para o planejamento aparecem em um mapa digital, uma espécie de retrato do município que está sendo estudado. A empresa da Incunesp oferece também treinamento para operar a ferramenta. "Não é necessário ser um geólogo para manter o programa em funcionamento", afirma Meaulo. De maneira o programa também ajuda os administradores públicos a compreender melhor aspectos da lei orgânica de suas cidades.
O projeto da Fortgeo é único no mercado, principalmente por se tratar de um software livre (dispensa o pagamento anual de manutenção e uso). A idéia nasceu em 2004, quando Meaulo participou de um congresso de geologia na ltália, e ganhou corpo como seu projeto de doutorado na Unesp. "É um projeto com tecnologia nacional, que pode auxiliar no planejamento territorial e na gestão ambiental", destaca o geólogo.