Notícia

Portal do Governo do Estado de São Paulo

Fapesp integrará comitê global da ONU para a recuperação pós-pandemia

Publicado em 25 julho 2020

O diretor-científico da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, Luiz Eugênio Mello, representará a Fapesp no Grupo Diretor de Proteção Social, composto por financiadores internacionais de pesquisa, constituído com o objetivo de dar suporte científico ao United Nations Research Roadmap for the COVID-19 Recovery na definição de estratégias nacionais e internacionais de recuperação socioeconômica do impacto da pandemia.

O Research Roadmap deverá ser publicado em setembro de 2020. O convite a Luiz Mello foi feito pelo diretor-científico do Canadian Institutes of Health Research, do Canadá, Steven Hoffman, incumbido pelo vice-secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Jan Eliasson, da tarefa de coordenar um esforço global de identificação de prioridades de pesquisa para a recuperação global equitativa, direcionada aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

“Esse processo envolverá instituições de fomento à pesquisa, lideranças para a implementação e pesquisadores para identificar e articular pesquisas que subsidiarão a tomada de decisão, em nível local, regional e global, de medidas de reconstrução e fortalecimento pós-COVID-19”, afirmou Hoffman à Agência Fapesp.

Pesquisa e financiamento

O Research Roadmap da ONU busca alinhar esforços de pesquisa e financiamento em cinco áreas prioritárias: proteção de serviços e sistemas de saúde; garantia de proteção social e serviços básicos; planejamento da retomada de empregos, de pequenas e médias empresas e de oportunidades para trabalhadores do setor informal; apoio à resposta macroeconômica e à colaboração multilateral; e o fortalecimento da coesão social e da resiliência da comunidade.

“A participação da Fapesp sinaliza sua relevância no cenário nacional. O objetivo da retomada de empregos se dá em um contexto de uma profunda mudança dos vínculos formais de trabalho que contribuem para o estabelecimento de novas relações com implicações profundas para a sociedade”, disse Luiz Mello à Agência Fapesp.

“São diversas as oportunidades que se abrem e que podem ter como base programas em que a Fundação já tem propostas estruturadas como o Programa de Políticas Públicas e o Pipe [Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas]. A discussão de estratégias conjuntas em nível global permite colocar a ciência como pilar, neste caso não apenas no combate direto à COVID-19, mas às suas dramáticas consequências indiretas”, completou.

Além do diretor-científico da Fapesp, o Grupo Diretor de Proteção Social contará com a participação de oito a dez representantes de outras instituições de fomento à pesquisa de todo o mundo e terá a tarefa de identificar as lacunas de conhecimento para a recuperação no pós-pandemia e articular as prioridades globais de pesquisa necessárias a soluções.