Notícia

Vale Paraibano

Fapesp injeta R$ 2 mi em projeto do Inpe

Publicado em 11 maio 2007

Programa com base em Cachoeira Paulista fará monitoramento do clima espacial a partir de junho
Cachoeira Paulista

O Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), de São José dos Campos, implantou um projeto que permite com clareza a previsão do clima espacial. Trata-se da sengunda etapa do BDA (Arranjo Decimétrico Brasileiro), que entra em funcionamento a partir do dia 16 de junho.
A Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) vai liberar R$ 2 milhões para implantação da segunda etapa do projeto.
O BDA, que é único na América Latina, cobrirá uma lacuna entre os instrumentos situados na Europa e nos Estados Unidos, abrangendo uma cobertura de 24 horas de observações do sol e da astronomia no mundo.
De acordo com o cooordenador do projeto, o professor Hanumant Sawant, da Divisão de Astrofísica do Inpe, o projeto terá aplicações no programa de previsão do clima espacial através da observação dos fenômenos solares, em investigações das emissões de rádio fontes galácticas e extragalácticas no céu do hemisfério sul.
"Além disso, permitirá a transferência de tecnologia, na área de engenharia espacial, tanto para o Inpe como para a indústria brasileira, colocando o Brasil no seleto grupo de países que dispõem deste serviço", disse.
Tecnologia - O BDA é o primeiro rádio-interferômetro em ondas decimétricas --um arranjo de antenas para captar ondas de rádios-- desenvolvido e construído no Brasil, com mais de 50% de tecnologia nacional. O instrumento opera com altas resoluções espacial e temporal.
"Imagine uma câmara digital capaz de gerar 10 imagens do Sol por segundo", disse Sawant.
Além disso, segundo ele, o instrumento permitirá uma análise em tempo real, utilizando uma máquina de arquitetura paralela e um software que implementa a técnica de tomografia espectral e que permite inclusive a análise de "loops" solares--explosões solares.
De acordo com o pesquisador do projeto, Francisco Carlos Rocha Fernandes, da Univap (Universidade do Vale do Paraíba), essa segunda etapa representa um avanço tecnológico do BDA e consiste na implantação de mais 20 antenas, que deverão ser instaladas até 2010. "A implantação dessa etapa representa um grande avanço para a tecnologia nacional", disse o pesquisador.