Notícia

24 Horas News

Fapesp financia construção de forno de fusão no Laboratório de Solidificação e Soldagem da USP

Publicado em 18 março 2007

O Professor Marcelo Falcão de Oliveira, Laboratório de Solidificação e Soldagem, da Escola de Engenharia de São Carlos, orienta dois alunos de Mestrado, sendo um bolsista da CAPES. Para 2007, já esta previsto o ingresso de mais dois alunos no Mestrado, um deles financiado pela empresa Mahle, uma metalúrgica que produz ferro fundido modular para componentes de automóveis.

A linha de pesquisa do laboratório é simulação de solidificação de vidros metálicos ou metais amorfos a vidros cristalinos. Esses materiais podem ser utilizados em micro dispositivos para pequenas engrenagens (relógios e micro motores).

De acordo com o professor Falcão, um de seus alunos de Mestrado está desenvolvendo um projeto para a construção de um equipamento para processar e estudar ligas, chamado forno de fusão, financiado pela FAPESP ao custo total de R$ 76 mil. Esse projeto conta com a parceria do Laboratório Nacional de Luz Sincrotron (LNLS) de Campinas.

O outro projeto, ainda segundo Falcão, pretende testar a possibilidade de perfuração a laser de vidros metálicos e cristalino cem parceria com o Laboratório de Crescimento de Cristais e Materiais Cerâmicos (CCMC), do Centro de Materiais Cerâmicos, CEPID/FAPESP, do Instituto de Física de São Carlos (IFSC) que já realizou essa pesquisa com microperfurações de precisão em diferentes tipos de materiais. "Esse não é um material convencional, portanto os testes servirão para verificar se os vidros e materiais metálicos não sofrerão alteração em sua estrutura", acrescentou.

O docente tem colaboração internacional com o CNRS (Centro Nacional de Pesquisa Científica) da França, através do professor Reza Yavari.

Para firmar um convênio oficialmente, o professor Marcelo explica que está à procura de um aluno de doutorado na área de ligas nanoestruturadas para desenvolver o projeto na França e fazer a ponte entre as duas universidade.

Para 2007, o professor Falcão espera resposta a um pedido de auxilio a pesquisa, enviado à CNPq, para desenvolver um projeto de soldas livres de chumbo para componentes eletrônicos, em parceria com o CEFET (Centro Federal de Educação Tecnológica) da Amazônia, visando melhorar o desempenho desse material.

Além disso, no próximo ano, o laboratório de Solidificação e Soldagem, em parceria com o professor Waldek Wladimir Bose Filho e pesquisadores de pós-doutorado, estarão estudando soldagem por fricção em chapas de ligas de alumínio para serem aplicadas em uma empresa aeronáutica (que fabrica máquinas e equipamentos) "Nossa pretensão é estender esse estudo também para chapas de aço para serem utilizadas em automóveis. Mas, isso ainda requer muita pesquisa", salientou Falcão.

(www.cem.if.sc.usp.br /Eloiza Strachicini)