Notícia

Jornal do Commercio (RJ)

Fapesp faz simpósio no Japão

Publicado em 11 março 2013

Nos dias 15 e 16 deste mês, será realizado na capital japonesa o Simpósio Japão-Brasil sobre Colaboração Científica, para promover a colaboração entre cientistas do estado de São Paulo e do Japão em conferências sobre pesquisas em diversas áreas do conhecimento.

O evento é organizado em parceria da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo(Fapesp) e a Sociedade Japonesa para a Promoção da Ciência (JSPS). O encontro será realizado na Universidade Rikkyo e conta com apoio da embaixada do Brasil em Tóquio.

Realizado no contexto das comemorações dos 50 anos da Fapesp, o simpósio visa estimular a cooperação de cientistas dos dois países em futuros projetos.

A instituição brasileira tem promovido encontros científicos em diversos países em associação com universidades e instituições científicas locais, como parte de sua estratégia de ampliar a colaboração entre pesquisadores de São Paulo e do mundo.

“O Japão é um dos países priorizados pela Fapesp pela excelência de suas instituições científicas e pelo alto impacto da produção científica e tecnológica de seus pesquisadores”, disse Celso Lafer, presidente da fundação.

As sessões do simpósio tratarão de temas de pesquisa de interesse mútuo. No dia 15, pesquisadores discutirão a imigração na Amazônia e a representação cultural japonesa no Brasil, os requisitos para o desenvolvimento e a sustentabilidade do agronegócio, o monitoramento e a conservação da biodiversidade, sistemas agroflorestais para o desenvolvimento rural sustentável no Brasil e a pesquisapara produção de biocombustíveis, entre outros temas.

No dia 16, a programação terá apresentações de resultados de pesquisas sobre obesidade, doença de Chagas, diagnóstico de infecções virais e desenvolvimento de vacina contra a malária e fatores ligados ao seu aparecimento.

Uma das atividades do Simpósio Japão-Brasil será a inauguração da exposição Brazilian Nature, dia 14, no Espaço Cultural da Embaixada Brasileira em Tóquio. Resultado de uma parceria entre a Fapesp e o Museu Botânico de Berlim, a exposição mostra o trabalho de documentação do naturalista alemão Carl Friedrich Philipp von Martius (1794-1868) na obra Flora brasiliensis, que 172 anos depois da publicação de seu primeiro volume permanece como o mais completo levantamento da flora brasileira.

O trabalho do naturalista deu origem também ao projeto Flora Brasiliensis On-line e Revisitada, que inclui a atualização da nomenclatura utilizada no trabalho original de Martius, além de informações e ilustrações recentes sobre espécies descritas depois de sua publicação. A exposição apresenta ainda uma comparação das imagens produzidas no século 19 com fotografias atuais de plantas e biomas, e retrata alguns dos resultados de pesquisas realizadas no âmbito do projeto Flora Fanerogâmica do Estado de São Paulo e do programa BIOTA-FAPESP, que há 13 anos desenvolve pesquisas para caracterização, conservação, recuperação e uso sustentável da biodiversidade.

Mais informações sobre o simpósio e inscrições:www.fapesp.br/japanbrazilsymposium.

DA REDAÇÃO

(Com Agência Fapesp)