Notícia

Portal Fator Brasil

FAPESP e Vale investem R$ 40 milhões em pesquisa

Publicado em 23 dezembro 2009

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo e a Vale assinaram dia 23 de dezembro (quarta-feira), na sede da Fundação, acordo de cooperação para desenvolvimento de pesquisa nas áreas de mineração, energia, ecoeficiência, biodiversidade e produtos ferrosos para a siderurgia. A iniciativa prevê investimentos de R$ 40 milhões em quatro anos, divididos igualmente entre a Fundação e a empresa mineradora.

Os projetos serão desenvolvidos por pesquisadores de instituições de ensino superior de pesquisa no Estado de São Paulo. Os objetivos são criar conhecimento e obter resultados inovadores que possam ser aplicados pela empresa no mercado interno e mundial.

Com esse acordo, a FAPESP oferece à comunidade de pesquisa paulista uma oportunidade de participação em projetos relevantes para uma grande empresa brasileira e para a sociedade, diz Carlos Henrique de Brito Cruz, diretor científico da FAPESP. A Fundação tem como missão investir na formação de recursos humanos, na pesquisa acadêmica em todas as áreas e também fomentar aquele tipo de pesquisa voltada para aplicações, afirma.

As linhas de pesquisa incluem temas de interesse em áreas tradicionalmente apoiadas pela FAPESP e também para as atividades da Vale. Dentre os temas estão métodos indiretos de prospecção mineral, pesquisas com algas para produção de biodiesel, utilização de resíduos florestais e vegetais para ampliar a parcela de energia gerada a partir de recursos renováveis na matriz energética brasileira, reabilitação de áreas degradadas, restauração e conservação de ecossistemas. Pesquisas sobre novas rochas para substituição de fertilizantes importados e nas áreas de espeleologia, arqueologia e educação ambiental também poderão ser apoiadas pelo Acordo de Cooperação FAPESP-Vale.

O acordo com a FAPESP se justifica pelo tamanho da comunidade científica do Estado de São Paulo, que é a maior do país e responde por mais da metade da produção científica nacional, afirma Luiz Mello, diretor do Instituto Tecnológico Vale (ITV). A mobilização desses pesquisadores é importante para o desenvolvimento de tecnologias e processos capazes de mudar paradigmas na Vale, completa.

Acordos com a mesma finalidade foram assinados entre a Vale e as fundações de amparo à pesquisa (FAPs) de Minas Gerais (Fapemig) e do Pará (Fapespa). Em 10/12, a empresa anunciou a estruturação do Instituto Tecnológico Vale (ITV), e investimentos de R$ 120 milhões em quatro anos, em cooperação com as FAPs. Em São Paulo, a contrapartida da FAPESP será de R$ 20 milhões.

As chamadas de propostas de pesquisa serão elaboradas em conjunto, pelas três Fundações e a Vale. A primeira delas será divulgada em 2010 e selecionará projetos a serem desenvolvidos por pesquisadores ou grupos de pesquisa de cada um dos estados ou por meio de colaborações interestaduais.