Notícia

Jornal Brasil

FAPESP e Seade ampliarão uso do Sistema de Análise de Dados de São Paulo

Publicado em 23 novembro 2015

A FAPESP e a Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade) firmaram na quinta-feira (19/11) um acordo de cooperação com duração de cinco anos para o desenvolvimento de projetos de pesquisa com alto impacto científico, social e econômico a partir do uso das bases de dados produzidas pelo Seade.

Vinculado à Secretaria de Planejamento e Gestão do Estado de São Paulo, o Seade é um centro de referência nacional na produção e disseminação de análises e estatísticas socioeconômicas e demográficas.

Durante a assinatura do acordo, realizado na sede da FAPESP, a diretora executiva do Seade, Maria Helena Guimarães de Castro, ressaltou a importância do apoio a pesquisas realizadas em diferentes instituições de ensino e pesquisa de São Paulo, que poderão utilizar com mais facilidade as informações de caráter sigiloso, que são coletadas e reunidas pela instituição.

“São dados referentes a nascimentos e óbitos, envolvendo condições de vida dos cidadãos em múltiplos aspectos, o que os torna sigilosos. A plataforma de registros civis do Seade tem informações para estudos em todas as áreas, sobretudo nos campos da saúde, da educação e da mobilidade, e pesquisas nessas áreas poderão se utilizar dos dados produzidos, gerando resultados qualificados que possam pautar políticas públicas”, disse.

O Seade realiza pesquisas diretas e levantamentos de informações produzidas por outras fontes, compondo um acervo amplo e acessível gratuitamente que permite a caracterização de diferentes aspectos socioeconômicos do Estado de São Paulo, de suas regiões e municípios e de sua evolução histórica.

Acompanhando a diretora executiva da instituição, participaram da assinatura do acordo Edney Dias, diretor adjunto de Análise e Disseminação de Informações, Margareth Watanabe, diretora adjunta de Metodologia e Produção de Dados, Bernadette Waldvogel, gerente de Indicadores e Estudos Populacionais, Ide Romani de Camargo Ortiz, chefe de gabinete em exercício, Rafael Camelo, assessor da Diretoria Executiva, Haroldo Torres, assessor da Diretoria Executiva, e Patrícia Queiroz, coordenadora de Comunicação.

Eles foram recebidos por José Goldemberg, presidente da FAPESP, e Carlos Henrique de Brito Cruz, diretor científico da Fundação.

Para Goldemberg, o acordo deverá cobrir uma área ampla de pesquisas e seus resultados deverão ser valiosos para o planejamento no setor público. “Os estudos feitos a partir deste acordo certamente poderão embasar a formulação de políticas públicas, algo de extrema importância e que deve receber especial atenção”, afirmou.

Para a seleção de pesquisas a serem apoiadas, chamadas de propostas serão elaboradas conjuntamente entre a Seade e a FAPESP, que coordenará a definição dos temas e selecionará os projetos de pesquisa.

Para a realização das pesquisas aprovadas, o Seade disponibilizará a sua base de dados e – com o consentimento dos pesquisadores apoiados – garantirá ambiente tecnológico apropriado para o armazenamento das informações geradas no âmbito dos projetos por um período mínimo de dez anos.

Brito Cruz ressaltou que o apoio financeiro aos projetos aprovados ficará a cargo da FAPESP e que os valores disponíveis serão estabelecidos anualmente. “A chamada vai convidar pesquisadores a apresentarem projetos que usem dados produzidos pelo Seade, que por sua vez terá a oportunidade de obter resultados de pesquisas com rigor metodológico, realizadas em diferentes instituições.”

Para disseminar a sua produção, a Fundação Seade orienta-se pelo uso da internet como principal instrumento de disseminação, pela gratuidade de acesso e pela disponibilização de todo o seu acervo recente de informações, incluindo metadados, como definições, classificações utilizadas e notas que sejam relevantes para a compreensão da informação.

Para a realização das pesquisas com apoio da FAPESP, o Seade se encarregará, ainda, da vinculação das bases de dados relativas a nascimentos e óbitos registrados no Estado de São Paulo entre 2002 e o último ano disponível, com as bases de dados individuais que forem especificadas nas propostas de pesquisa. A instituição garantirá também a alocação de recursos humanos e os materiais necessários a esses trabalhos.

O Seade assegurará o sigilo das informações de natureza individual contidas nas bases de dados a serem vinculadas.

Fonte Agência FAPESP