Notícia

Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (SP)

Fapesp e Sabesp escalarecem 2ª chamada

Publicado em 11 abril 2013

O evento de divulgação da segunda chamada de propostas vinculada ao acordo firmado entre a FAPESP e a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) reuniu mais de 90 pesquisadores paulistas no dia 9 de abril, na sede da Fundação.

O objetivo do encontro, conforme explicou o coordenador adjunto de Pesquisa para Inovação da FAPESP, Sérgio Queiroz, foi mostrar aos interessados em apresentar projetos de pesquisa alguns aspectos conceituais sobre os temas propostos pela Sabesp, além de esclarecer dúvidas sobre os critérios de seleção, formas de financiamento e de prestação de contas.

Para apoiar as propostas selecionadas, FAPESP e Sabesp dividirão um investimento de até R$ 10 milhões. Os projetos deverão ter duração de até 36 meses. As propostas serão recebidas até 17 de maio.

Queiroz destacou que os projetos deverão ser formulados segundo as condições do Programa de Apoio à Pesquisa em Parceria para Inovação Tecnológica (PITE), da FAPESP, que apoia pesquisa em instituições acadêmicas ou em institutos de pesquisa, desenvolvida em cooperação com pesquisadores de centros de pesquisa de empresas.

"O objetivo é que na data de encerramento da chamada tenhamos boas propostas. Os projetos deverão trazer soluções novas e criativas para os problemas do saneamento”, ressaltou Queiroz.

O superintendente de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação Tecnológica da Sabesp, Américo Sampaio, e o engenheiro Marcelo Miki detalharam as expectativas da empresa em relação a cada um dos sete temas de pesquisa apontados como prioritários na segunda Chamada de Propostas: “Tecnologia de membranas filtrantes nas estações de tratamento de água e de esgoto”, “Alternativas de tratamento, disposição e utilização de lodo de estações de tratamento de água e estações de tratamento de esgotos”, “Novas tecnologias para melhorias dos processos de operações unitárias”, “Novas tecnologias para implantação, operação e manutenção de sistemas de distribuição de água e coleta de esgoto”, “Monitoramento da qualidade da água”, “Eficiência Energética” e “Economia do saneamento”.

Sampaio ressaltou que a empresa procura projetos orientados a situações reais de aplicação e viáveis de serem implantados. “Na primeira chamada, elegemos as sete grandes linhas de pesquisa prioritárias, mas deixamos os temas em aberto, pois queríamos conhecer o que os institutos de ciência e tecnologia do Estado de São Paulo estavam fazendo. Agora, os temas estão muito mais focados e detalhados dentro dessas sete áreas. Isso exigiu um grande esforço interno para entender as reais necessidades das áreas operacionais da empresa”, disse.

Fonte: Agência Fapesp e SDECT