Notícia

Investe São Paulo

FAPESP e Prefeitura de Jundiaí assinam acordo de cooperação

Publicado em 02 maio 2018

A FAPESP e a Prefeitura de Jundiaí (SP) assinaram, no dia 26 de abril, acordo de cooperação para apoio a pesquisas com foco em cidades inteligentes.

Pelo convênio, a Prefeitura de Jundiaí e a FAPESP selecionarão e apoiarão projetos de pesquisa científica e tecnológica de startups e pequenas empresas inovativas sediadas no Estado de São Paulo.

Os projetos devem desenvolver soluções, serviços ou produtos ligados a temas referentes a cidades inteligentes e serão conduzidos no âmbito do Programa FAPESP Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE).

“Ficamos admirados que a Prefeitura de Jundiaí esteja realmente interessada em desenvolvimento científico e tecnológico. Isso é um perfil interessante. Ao que tudo indica, Jundiaí prefere colocar ciência e tecnologia para fazer o carro andar", disse José Goldemberg, presidente da FAPESP.

O programa PIPE é o maior programa brasileiro de apoio à inovação em startups. Desde 1997, ele vem apoiando a execução de pesquisa científica e/ou tecnológica em empresas no Estado de São Paulo. São quatro chamadas por ano e em 2017 o projeto aprovou 237 novas propostas submetidas por startups, pequenas e médias empresas.

Uma das contrapartidas oferecida pela Prefeitura de Jundiaí será a oferta de espaço físico na incubadora de empresas do município às startups selecionadas.

“Somos municipalistas por princípio. Acreditamos que toda e qualquer mudança parte do município. A parceria com a FAPESP será uma grande oportunidade para ganhamos em competitividade”, disse o prefeito de Jundiaí, Luiz Fernando Machado.

Na ocasião da assinatura do acordo, Machado comentou que a cidade de Jundiaí tem 100% de cobertura de esgoto e água tratada. “Nos últimos 40 anos houve um investimento grande em saneamento. Temos agora a base para transformar Jundiaí em uma smart city”, disse.

Para Mariana Savedra Pfitzner, diretora de Ciência e Tecnologia de Jundiaí – a prefeitura instaurou um sistema de plataformas e não de secretarias –, o acordo com a FAPESP será de grande relevância para a Política de Ciência e Tecnologia do município.

“Sabemos que inovação é uma atividade de alto risco e, se o empreendedor não tiver apoio financeiro, como a subvenção do programa PIPE da FAPESP, ele não vai conseguir inovar. Por isso, esse acordo é de extrema relevância para que possamos consubstanciar a Política de Ciência e Tecnologia de Jundiaí”, disse.

Fonte:Fapesp