Notícia

Protec - Pró-Inovação Tecnológica

FAPESP é nova integrante da Global Alliance for Chronic Diseases

Publicado em 14 setembro 2016

A Global Alliance for Chronic Diseases (GACD) tem agora um representante brasileiro. A FAPESP é a mais nova integrante da aliança internacional, que reúne agências financiadoras de pesquisas em doenças crônicas não transmissíveis.

De acordo com a GACD, a colaboração com “uma das principais financiadoras à pesquisa na América Latina” permitirá fortalecer a rede de pesquisa da aliança na região.

“Ter o Brasil em nossa crescente rede de pesquisadores e de programa de pesquisas nas Américas representa uma contribuição valiosa para a GACD. Ao se juntar à aliança, a FAPESP se torna parte de uma rede global única de financiadores os quais, juntos, apoiam pesquisas e fornecem evidência que influenciam políticas e práticas em áreas de doenças não transmissíveis em todo o mundo”, disse Alain Beaudet, presidente do conselho da GACD.

Com sede em Londres, a GACD financia programas de pesquisa em doenças crônicas ou relacionadas ao estilo de vida, como doenças cardiovasculares, diabetes, alguns tipos de cânceres, doenças pulmonares e transtornos mentais.

A aliança coordena e apoia atividades de pesquisa que enfoquem a prevenção e o tratamento de doenças crônicas não transmissíveis em escala global – que respondem por cerca de 60% das mortes em todo o mundo, segundo a organização –, especialmente em países de baixa ou média renda e com populações mais vulneráveis.

“Estamos entusiasmados pela oportunidade de colaborar com financiadores internacionais importantes abrindo oportunidades para pesquisadores em São Paulo. A GACD oferece uma plataforma diferenciada para promover pesquisas colaborativas, o que facilitará a colaboração de pesquisadores do Estado de São Paulo com um grupo internacional único de especialistas”, disse Carlos Henrique de Brito Cruz, diretor científico da FAPESP.

A GACD é a primeira colaboração entre importantes agências de financiamento à pesquisa a abordar especificamente as doenças crônicas não transmissíveis. Juntos, os membros da aliança respondem por mais de 80% do financiamento público à saúde no mundo.

Entre os membros da aliança estão o National Health and Medical Research Council da Austrália, os Institutes of Health Research do Canadá, a Academia de Ciências Médicas da China, o Medical Research Council do Reino Unido, a Agência para Pesquisa Médica do Japão, a Direção Geral de Pesquisa e Inovação da Comissão Europeia e os National Institutes of Health (NIH) dos Estados Unidos.

Representantes do NIH advogaram no conselho da GACD pela entrada da FAPESP, que foi aceita e se tornou a primeira agência não federal entre os membros da aliança.

Brito Cruz integra o Conselho da GACD e a FAPESP é representada no Conselho de Administração da aliança por Fernando Cendes, professor no Departamento de Neurologia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e membro da Coordenação de Área - Saúde da FAPESP.

GloPID-R

A FAPESP também passou a integrar recentemente a Global Research Collaboration for Infectious Disease Preparedness (GloPID-R), rede de organizações que financiam pesquisas na área de doenças infecciosas que reúne 23 agências de fomento.

A GloPID-R visa unir esforços das agências de fomento em escala global de modo a facilitar respostas eficientes e em até 48 horas a surtos significativos de doenças infecciosas novas ou recorrentes com potencial de se tornar pandemias.

Entre os objetivos da rede estão: planejamento e investimento em pesquisa e inovação frente a epidemias e crises globais em saúde; facilitar o intercâmbio de informação; abordar desafios científicos, legais, éticos e financeiros; implementar uma abordagem de “Saúde Única” com estreita cooperação entre pesquisadores em saúde humana e animal; conectar redes de pesquisa em doenças infecciosas; e estabelecer uma agenda estratégica de respostas rápidas em pesquisa.

Entre os membros da rede estão a Direção Geral de Pesquisa e Inovação da Comissão Europeia, a African Academy of Sciences, a Bill & Melinda Gates Foundation, o Department of Health and Human Services dos Estados Unidos, o Canadian Institutes of Health Research e o Wellcome Trust do Reino Unido. Do Brasil, fazem parte também o Instituto Butantan e a Fundação Oswaldo Cruz.

A FAPESP é representada na GloPID-R pelo professor Walter Colli, membro da Coordenação do Programa FAPESP de Pesquisa sobre o vírus Zika e da Coordenação Adjunta - Ciências da Vida da Fundação.

(Fonte: Agência Fapesp – 13/09/2016)