Notícia

A Folha (São Carlos, SP)

FAPESP e Microsoft lançam instituto de pesquisa

Publicado em 15 abril 2007

O Instituto Microsoft Research - FAPESP de Pesquisas em TI foi lançado nesta terça-feira, dia 10, na sede da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP). O evento marcou, ainda, o lançamento da chama para apresentação de propostas pela comunidade cientifica paulista.
Iniciativa pioneira de cooperação entre a empresa multinacional e uma agência de fomento, o instituto pretende incentivar e apoiar pesquisas em Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) que aliem investigação fundamental a potencial de aplicação e que, ao mesmo tempo, ampliem o acesso dos cidadãos às novas tecnologias, reduzindo diferenças socioeconômicas, culturais e regionais. O acordo prevê investimento inicial de US$ 800 mil (cerca de R$ 1,6 milhão) - sendo US$ 250 mil (cerca de R$ 500 mil) de cada instituição no primeiro ano e US$ 150 mil (cerca de R$ 300 mil) de cada uma no segundo. Para esta primeira chamada de propostas estão reservados US$ 500 mil (cerca de R$ 1 milhão).
"Esperamos projetos que proponham soluções locais mas, ao mesmo tempo, tenham um grau de generalidade capaz de resolver questões de uma comunidade mais ampla. Pesquisas com esse caráter contraditório, porém, complementar, são um grande desafio para o pesquisador", disse Carlos Henrique de Brito Cruz, diretor científico da FAPESP.
"O interessante da Microsoft é avançar nos limites do conhecimento cientifico e tecnológico em Tecnologia da Informação. Esse é o principio do investimento em pesquisa e desenvolvimento", afirmou Henrique Malvar, diretor-geral da Microsoft Research, área de pesquisa da Microsoft , sediada em Redmond, nos Estados unidos. "O primordial é pensar como a vida poderá ser melhor em dez anos e não apenas no usuário da próxima versão do Windows."
Os grandes desafios para a atividade de pesquisa científica e tecnológica na área das TICs são a ampliação de infra-estruturas de rede, a criação de interfaces intuitivas para novos usuários e a redução do custo de equipamentos.
Os principais temas de interesse do centro serão o desenvolvimento de conhecimentos nas áreas de governo eletrônico, saúde, educação continuada e plataformas que permitam a integração de ferramentas de comunicação ao aprendizado eletrônico. Para Brito Cruz, além da oportunidade de inserir a pesquisa desenvolvida em São Paulo num contexto mundial, a criação do Instituto é o reconhecimento à excelência da Ciência da Computação brasileira.
(Do site da Unesp)