Notícia

Envolverde

FAPESP e King's College assinam acordo

Publicado em 17 setembro 2009

Agência Fapesp

Cooperação apoiará projetos de pesquisa conjuntos entre pesquisadores da instituição britânica e de instituições de ensino superior e de pesquisa em São Paulo.

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) e o Kings College London assinaram nesta quarta-feira (16/9), em Londres, um acordo de cooperação. O objetivo é estimular e apoiar projetos de pesquisa conjuntos entre pesquisadores da instituição britânica e de instituições de ensino superior e de pesquisa sediados no Estado de São Paulo.

Com a cooperação, que se expande por todas as áreas do conhecimento, o Kings College London se torna a primeira universidade britânica parceira da FAPESP. As duas instituições trabalharão em conjunto para analisar e selecionar projetos de propostas submetidos.

"Estamos muito felizes com a escolha, por parte da FAPESP, do Kings College como parceiro para projetos de pesquisa internacionais. O Brasil é um país de grande importância para nossa instituição e tenho certeza de que a assinatura deste acordo marca o início de uma colaboração importante que estimulará relações de pesquisa e levará ao desenvolvimento de pesquisas de alta qualidade por todas as áreas do conhecimento", disse Keith Hoggart, vice-reitor para Artes e Ciências da instituição britânica.

"A colaboração internacional é fundamental para o desenvolvimento da ciência em São Paulo e no Brasil. Ao colaborar com o Kings College London, a FAPESP abre um amplo conjunto de oportunidades para a colaboração científica. Como é tradição na Fundação, esperamos propostas em todos os campos científicos", disse Carlos Henrique de Brito Cruz, diretor científico da FAPESP, na assinatura do acordo em Londres.

O acordo de cooperação entre as instituições apoiará a realização de projetos de pesquisa conjuntos - que podem incluir o intercâmbio de pesquisadores e de alunos de pós-graduação - em todas as áreas de conhecimento, selecionados por meio das chamadas de propostas.

Áreas prioritárias podem ser estabelecidas dentro das chamadas pelo Comitê Gestor encarregado da administração do programa de cooperação. As chamadas de propostas serão realizadas a cada dois anos.

As propostas selecionadas serão financiadas por dois anos. Esse apoio poderá ser prorrogado pelo prazo máximo de um ano, especialmente quando houver alunos de pós-graduação ligados ao projeto de pesquisa.

No lado britânico, o critério de elegibilidade é que a proposta deva ser submetida apenas por pesquisadores do Kings College London. No lado brasileiro, o critério é que a proposta deva ser submetida apenas por pesquisadores de instituições de ensino superior e de pesquisa localizadas no Estado de São Paulo.

O acordo se soma às diversas relações entre o Kings College London e instituições de ensino e de pesquisa em São Paulo, como a Universidade de São Paulo. A universidade britânica sedia o Centro para o Estudo da Cultura e Sociedade Brasileiras.

Fundada pelo rei George IV e pelo duque de Wellington, então primeiro-ministro, em 1829, o Kings College London é a quarta mais antiga universidade na Inglaterra. É uma das 25 melhores instituições de ensino superior no mundo, segundo o levantamento Times Higher Education 2008. Tem mais de 21 mil alunos, de quase 140 países, e cerca de 5,7 mil funcionários.

Mais informações sobre o acordo de cooperação: http://www.fapesp.br/materia/5336

(Envolverde/Agência Fapesp)