Notícia

SnifBrasil

FAPESP e GlaxoSmithKline anunciam acordo para criação de Centro de Excelência para Pesquisa em Química Sustentável no Brasil

Publicado em 25 outubro 2013

O laboratório britânico GlaxoSmithKline (GSK) assinou um acordo de parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) para a criação de um Centro de Excelência para Pesquisa em Química Sustentável no Brasil. Em cerimônia no Palácio dos Bandeirantes com o governador Geraldo Alckmin, participaram Celso Lafer e Eduardo Moacyr Krieger, presidente e vice-presidente da FAPESP, Carlos Henrique de Brito Cruz e José Arana Varela, diretor científico e diretor-presidente do Conselho Técnico-Administrativo da Fundação, Rogério Ribeiro, vice-presidente sênior e gerente geral de EMAP (Mercados Emergentes e Ásia Pacífico) da GSK, e Cesar Rengifo, vice-presidente e gerente geral da GSK Brasil.

Com localização no Estado de São Paulo, o Centro de Excelência será voltado para a fabricação de produtos químicos sustentáveis que possam ser utilizados na descoberta e no desenvolvimento de novos medicamentos.

Para o vice-presidente sênior e gerente geral de EMAP, Rogério Ribeiro, a parceria com a FAPESP ganha ainda mais importância no atual momento da empresa: "A GSK tem um negócio em plena expansão no Brasil. Estamos muito satisfeitos em anunciar o nosso apoio ao novo Centro de Excelência para Pesquisa em Química Sustentável, iniciativa que faz parte do nosso investimento contínuo em ciência no país. Medidas como essa contribuem de maneira decisiva para atingirmos nosso objetivo de reduzir o impacto ambiental e nos ajudarão a cumprir a meta de sermos neutros em carbono até 2050", diz.

“O modelo de cooperação FAPESP-GSK para criação de um centro de pesquisa de classe internacional é inspirado no Programa CEPID, criado pela Fundação em 2000”, afirma Celso Lafer, presidente da FAPESP. “Este projeto com a GSK vai envolver abordagens interdisciplinares para lidar com desafios científicos complexos, que levarão a um avanço do conhecimento em química sustentável e a aplicações com valor de mercado em áreas de interesse comum”.

A GSK e a FAPESP irão compartilhar um investimento de aproximadamente £800 mil por ano, por um período de 10 anos. Essa é a segunda iniciativa da GSK nesse sentido no mundo. Desde 2012, a empresa apoia um Centro de Excelência em Química Sustentável no Reino Unido, instalado na Universidade de Nottingham.

O vice-presidente e gerente geral da GSK Brasil, Cesar Rengifo, ressaltou a visão da GSK sobre o acordo: “A GSK está comprometida em apoiar ações voltadas à pesquisa e inovação que sejam capazes de trazer real impacto ao país. Nossa expectativa é a de que este Centro não apenas contribua para criar um novo paradigma na forma como são fabricados medicamentos, como também para estimular ainda mais a produção científica no país”.

Excelência em pesquisa multidisciplinar

Com o objetivo de explorar aspectos da química sustentável, o novo Centro de Excelência terá uma abordagem multidisciplinar, buscando maior eficiência no uso de sintéticos e no desenvolvimento de solventes e reagentes renováveis a partir de resíduos agrícolas.

Tal iniciativa vai trazer alternativas para os processos e componentes utilizados hoje na indústria farmacêutica, o que permitirá à GSK incorporar o uso de novos produtos químicos sustentáveis, contribuindo diretamente para o cumprimento de suas metas de redução de emissão de carbono.

Também durante a assinatura do acordo entre FAPESP e GSK foi divulgada uma Chamada de Propostas de Pesquisa dirigida a pesquisadores, universidades e instituições de pesquisa no Estado de São Paulo. Os interessados têm prazo até 21 de fevereiro de 2014 para apresentarem propostas de constituição de um Centro de Excelência para Pesquisa em Química Sustentável, descrevendo o plano de pesquisa, identificando a instituição-sede, contrapartidas institucionais (infraestrutura, suporte técnico e administrativo, entre outros) e equipe de pesquisadores.

A proposta deverá incluir, ainda, um programa de Educação e Difusão do Conhecimento e de Transferência de Tecnologia. A estimativa é de que o Centro de Excelência para Pesquisa em Química Sustentável comece a operar após o resultado da chamada de propostas de pesquisa, previsto para 22 de agosto de 2014.