Notícia

DCI online

Fapesp e Fundação Grupo Boticário fecham acordo para apoio a pesquisas

Publicado em 23 dezembro 2013

SÃO PAULO - A Fapesp e a Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza assinaram um acordo de cooperação que vai permitir o apoio a pesquisas desenvolvidas por instituições situadas no Estado de São Paulo, incluindo as realizadas em parceria com instituições de outros estados do Brasil.

Com a assinatura, também foi lançada uma chamada de propostas de pesquisas sobre mudanças climáticas com dois focos principais. O primeiro abrange cenários climáticos futuros e seus impactos sobre a biota. O segundo detém-se no monitoramento de habitats e espécies do Lagamar - região que abrange o Complexo Estuarino-Lagunar de Iguape-Cananéia-Paranaguá, entre o litoral sul do Estado de São Paulo e o litoral norte do Paraná -, incluindo ambientes continentais e marinhos, considerando suas variáveis climáticas.

A área de atuação das pesquisas contempla o Mosaico de Áreas Protegidas do Lagamar, instituído pelo Ministério do Meio Ambiente em maio de 2006, por meio de portaria federal que prevê a gestão integrada de diversas áreas protegidas.

No Estado de São Paulo, são 19 as unidades de conservação na área de abrangência para as propostas submetidas a essa chamada de pesquisas. No Paraná, são 26 unidades de conservação, entre elas a Reserva Natural Salto Morato, uma Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) criada e mantida pela Fundação Grupo Boticário. Essa reserva é reconhecida pela estrutura de apoio que oferece a pesquisadores interessados em estudar a biodiversidade local: há alojamento, laboratório e uma estação meteorológica.

O aporte financeiro total aos projetos selecionados será de R$ 5 milhões, desembolsados em partes iguais pela Fapesp e pela Fundação Grupo Boticário, ao longo do período de duração das pesquisas, que pode chegar a 48 meses.

Para o diretor científico da Fapesp, Carlos Henrique de Brito Cruz, o apoio a pesquisas conjuntas entre universidades e instituições privadas, ao mesmo tempo em que contribui para o avanço do conhecimento, também ajuda a tornar efetiva a aplicação de resultados.

"O acordo com a Fundação Grupo Boticário soma esforços para intensificar pesquisas em biodiversidade e clima, buscando projetos de alto impacto científico. Representa uma adição valiosa para as ações da Fapesp que buscam aliar o financiamento estatal ao financiamento privado para apoiar a pesquisa de alta qualidade", disse.

Agências