Notícia

Ciência e Vida

FAPESP e Conselhos de Pesquisa do Reino Unido (RCUK) assinam acordo de cooperação científica

Publicado em 14 setembro 2009

Um acordo inédito assinado entre a FAPESP e os Conselhos de Pesquisa do Reino Unido (Research Councils UK) irá fortalecer a aproximação entre Brasil e Reino Unido na área de pesquisa científica. O acordo permite o apoio pelas duas instituições a projetos cooperativos propostos por pesquisadores britânicos e brasileiros associados e será celebrado amanhã, 15 de setembro, em Londres, Inglaterra, com a presença de cientistas e autoridades do governo dos dois países.

Jonathan Adams, diretor de avaliação de pesquisas da Thomson Reuters, responsável pela base de informações sobre a produção científica mundial do Institute for Scientific Information (ISI), destaca a importância da pesquisa paulista: “Em algumas áreas de pesquisa, é evidente que São Paulo não está apenas acima da média do impacto dos trabalhos de pesquisas para o país, mas bem acima da média mundial”.

“Análises feitas pela Thomson Reuters mostram que São Paulo se constitui em um excelente parceiro para a colaboração internacional, com uma base de pesquisa forte e crescente que oferece oportunidades valiosas para a descoberta e a inovação”, disse Adams, que participará da assinatura do convênio e apresentará palestra na cerimônia de assinatura sobre o crescimento da base científica brasileira.

Para Carlos Henrique de Brito Cruz, diretor científico da FAPESP e um dos representantes brasileiros à assinatura do acordo, afirma que o apoio à colaboração internacional é parte relevante da estratégia da Fundação. “Pesquisadores do Estado de São Paulo são responsáveis por 50% dos artigos científicos brasileiros publicados em revistas estrangeiras”, afirma. “Este acordo de cooperação com os RCUK abre possibilidades para que os pesquisadores dos dois países colaborem de forma eficaz. O acordo cobre todas as áreas do conhecimento e estamos interessados em receber propostas notáveis, tanto em pesquisa fundamental como aplicada”, completa.

O presidente da FAPESP, Celso Lafer, afirmou que “a dimensão da internacionalização é ingrediente importante no aprofundamento da cooperação da FAPESP com instituições britânicas e é uma forma de criar um processo de integração e trabalho conjunto de pesquisadores de São Paulo e do Reino Unido”.