Notícia

Jornal da Energia

Fapesp e BG Brasil investirão US$ 20 milhões em pesquisas sobre gás natural

Publicado em 26 setembro 2013

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e a BG Brasil (membro do BG Group, sediado no Reino Unido) assinaram nesta quarta-feira (25/09), em Londres, um acordo de cooperação que prevê investimentos de até US$ 20 milhões em pesquisas sobre produção e consumo de energia limpa. Os resultados esperados poderão ajudar o Brasil a utilizar de forma sustentável seu potencial de produção de óleo e gás natural.

O objetivo do acordo entre a BG Brasil e a Fapesp é a criação de um Centro de Pesquisa para Inovação em Gás, no Estado de São Paulo, por meio da seleção de propostas voltadas para os seguintes temas: consumo de energia limpa para a redução da emissão de gases de efeito estufa; desenvolvimento de gás natural como combustível para transporte marítimo; melhoria das técnicas de engenharia para a produção de gás natural; e a conversão de gás em matérias-primas para a indústria química, incluindo hidrogênio. Cada um dos parceiros investirá US$ 10 milhões ao longo de um período de cinco anos.

A assinatura do acordo ocorreu em cerimônia realizada na Embaixada do Brasil em Londres, durante a Fapesp Week London. O presidente da Fapesp, Celso Lafer, e o vice-presidente executivo do BG Group para Assuntos Corporativos, Sir John Grant, participaram da cerimônia.

O presidente da BG Brasil, Nelson Silva, afirma que o desenvolvimento de tecnologia é uma das prioridades da empresa no País. "Planejamos um investimento no Brasil na casa dos US$ 30 milhões em pesquisa e desenvolvimento em 2013", diz.

Para Carlos Henrique de Brito Cruz, diretor científico da Fapesp, a parceria com a BG Brasil agrega valor ao forte portfólio de apoio à investigação conjunta universidade-empresa da Fapesp. "O prazo previsto para seleção de propostas para estabelecimento de um Centro de Pesquisa para a Inovação em Gás por meio de concurso público permite assumir objetivos ousados para criação de novos conhecimentos e suas aplicações, bem como para a formação de cientistas e engenheiros".

Da redação