Notícia

Esteta

FAPESP e BG Brasil debatem propostas para criação de centro de pesquisa

Publicado em 12 dezembro 2013

A FAPESP e a BG Brasil, membro do BG Group, sediado no Reino Unido, realizaram na terça-feira (10/12) uma reunião com pesquisadores e lideranças acadêmicas para debater questões sobre a chamada de propostas, lançada em outubro pelas duas instituições, para a criação de um centro de pesquisa para inovação em gás.Para a implementação do centro, a ser instalado no Estado de São Paulo no ano que vem, e para o desenvolvimento de pesquisas sobre gás natural em diferentes áreas, serão investidos até US$ 20 milhões ao longo de cinco anos, a contar da aprovação das propostas para sua constituição.

O investimento será feito em partes iguais entre as duas instituições. As propostas de pesquisa deverão ser apresentadas em áreas voltadas para o aprimoramento do consumo de energia limpa, visando à redução da emissão de gases de efeito estufa; ao desenvolvimento de gás natural como combustível para transporte marítimo; à melhoria de técnicas de engenharia para a produção de gás natural; e à conversão de gás em matérias-primas para a indústria química, incluindo hidrogênio.

Resultado de um acordo de cooperação assinado em setembro pela FAPESP e pela BG Brasil, a chamada de propostas foi debatida em encontro realizado na sede da Fundação. Estiveram reunidos pesquisadores e lideranças acadêmicas, que discutiram as condições para a apresentação de projetos, os pré-requisitos dos proponentes, os contornos acadêmicos e científicos esperados das propostas e os critérios de seleção.Também foram apresentados os requisitos para a instituição que sediará o centro de pesquisas, bem como os mecanismos de gestão e os itens financiáveis dentro do orçamento da chamada. O centro será o primeiro do tipo em uma região tropical e terá como objetivo ser líder mundial em inovação em gás e sistemas de energia.

De acordo com o diretor científico da FAPESP, Carlos Henrique de Brito Cruz, as pesquisas a serem desenvolvidas no centro permitirão expandir o conhecimento e ampliar as aplicações para o uso do gás natural."O formato Centro de Pesquisa em Engenharia, criado recentemente pela FAPESP, permite que a parceria entre a empresa e as universidades crie uma interação contínua que estimula novos desafios. O núcleo duro das atividades deve ser a pesquisa internacionalmente competitiva e esperamos receber várias excelentes propostas em resposta à chamada", disse.Os temas prioritários para a pesquisa a ser desenvolvida no centro foram identificados em conjunto entre a FAPESP e a BG Brasil.

O objetivo é desenvolver conhecimento em questões como combustão avançada de gás natural, geração de energia de baixo carbono utilizando gás natural, eficiência energética e substituição de combustíveis, incluindo novas aplicações para o uso de gás.Durante o evento, David Jones, diretor de tecnologia do BG Group, respondeu às perguntas dos pesquisadores sobre as oportunidades para a colaboração internacional, e John Costin, gerente de Projetos de Tecnologia do BG Group, destacou a importância da participação da FAPESP para a excelência dos projetos selecionados."O lançamento de editais é um elemento importante para garantir a geração de projetos de pesquisa qualificados e aperfeiçoar oportunidades de investimento conjunto, além de tornar as oportunidades públicas, conferindo transparência ao processo de seleção de parceiros. Neste caso, ao atuar em conjunto com a FAPESP, esperamos receber propostas do mais alto nível, submetidas pelos melhores pesquisadores do Estado de São Paulo", afirmou Costin.

Pesquisa transdisciplinarA instituição escolhida para hospedar o centro de pesquisa terá um pesquisador principal à frente do projeto, mas deverá dar apoio institucional e administrativo também aos demais pesquisadores envolvidos, incluindo armazenamento e acesso a materiais e equipamentos.O centro deverá ainda promover a interação entre pesquisadores das instituições envolvidas com uma instituição internacional de pesquisa em gás natural, a ser estabelecida pelo BG Group. Essa interação deve incluir atividades de intercâmbio entre pesquisadores e estudantes, com o compartilhamento de informações sobre o andamento e os resultados das pesquisas, além da promoção de seminários, conferências e workshops.

Para Hernan Chaimovich, coordenador dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) e assessor especial da Diretoria Científica da FAPESP, o valor investido para a constituição do centro é bastante significativo e, além da pesquisa, vai proporcionar apoio a diferentes ações, como concessão de bolsas, organização de eventos e a cobertura de custos para pesquisadores visitantes."Queremos que todos os envolvidos troquem informações e experiências entre si, para que as pesquisas sejam verdadeiramente transdisciplinares", disse Chaimovich.

Segundo Chaimovich, o centro poderá ser construído em um único local ou em diferentes locais, podendo ser compartilhado entre diferentes instituições. "Isso dependerá dos projetos recebidos. O mais importante é quem será o responsável pelo projeto e como ele vai conectar diferentes pesquisadores", disse.As propostas de constituição do centro de pesquisa para inovação em gás deverão incluir detalhes da estrutura de gestão proposta, as funções-chave, com indicação dos pesquisadores, sempre que possível, detalhes dos objetivos, escopo, orçamentos e mecanismos a serem utilizados para pesquisa, ensino, difusão e transferência de tecnologias advindas das pesquisas."Vamos selecionar propostas que beneficiarão o setor de óleo e gás em geral, tanto na otimização do uso do gás natural quanto na eficiência energética.

Nossa estratégia de tecnologia é realizada por meio de parcerias com instituições, universidades e start-ups, acelerando o processo de geração e aplicação prática de inovação", afirmou o CEO da BG América do Sul, Nelson Silva.As propostas podem ser submetidas até 10 de março de 2014. O resultado da chamada, com a escolha da instituição que sediará o centro de pesquisa, será divulgado em 12 de setembro de 2014.A chamada de propostas está disponível em: www.fapesp.br/en/8206Foto: Eduardo Cesar

Agência FAPESP