Notícia

Saúde Web

Fapesp e Agilent apoiam projeto de desenvolvimento de biofármaco

Publicado em 30 outubro 2013

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e a Agilent Technologies Brasil concluíram a seleção de projetos apresentados em resposta a Chamada de Propostas de Pesquisa (CPP) divulgada em março. Parte do Acordo de Cooperação em Pesquisa firmado em agosto de 2011 entre as duas instituições, o objetivo da iniciativa é identificar e apoiar projetos de pesquisa avançada em instrumentação e técnicas de medição relacionadas à segurança alimentar e à biologia sintética.

Os dois projetos selecionados seguem as normas do Programa de Apoio à Pesquisa em Parceira para Inovação Tecnológica da Fapesp, e serão coordenados pelos pesquisadores Felix Guillermo Reyes Reyes, professor da Faculdade de Engenharia de Alimentos da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), e Aparecida Maria Fontes, do Departamento de Genética da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (USP).

Este segundo projeto irá recorrer a técnicas da Biologia Sintética para produzir o primeiro biofármaco brasileiro para reposição da enzima beta-glicosidase – responsável pela digestão de lipídeos acumulados na membrana das células – ausente ou inativa em pacientes portadores da Doença de Gaucher, que compromete o funcionamento de órgãos como a medula óssea, o fígado e o baço, além do sistema nervoso central.

O total de recursos disponível para atender as propostas selecionadas na chamada é equivalente a R$ 1,6 milhão, dividido igualmente entre FAPESP e Agilent. Os critérios para aprovação de projetos consideram abordagens originais e não convencionais e o potencial de criação de conhecimento para lidar com desafios científicos e tecnológicos.

As propostas aprovadas serão desenvolvidas em prazo de até 36 meses e foram formuladas segundo as normas PITE, criado pela FAPESP em 1995. Os projetos cofinanciados buscam tecnologias sustentáveis com impacto econômico e serão desenvolvidos em instituições acadêmicas ou institutos de pesquisa, em cooperação com pesquisadores de centros de pesquisa da empresa.

* com informações da Agência Fapesp