Notícia

JC e-mail

Fapesp completa 45 anos de apoio ao avanço do conhecimento

Publicado em 23 maio 2007

A atuação da Fundação está diretamente ligada ao desenvolvimento do Sistema Paulista de Ciência e Tecnologia. Desde sua criação, em 1962, a Fapesp está por trás de grandes projetos que equiparam a ciência brasileira à internacional

A Fapesp completa 45 anos de atividades em 23/5. A comemoração ocorre no mesmo dia, às 21h, com um concerto da Orquestra Sinfônica do Estado de SP (Osesp), na Sala SP.

Ao longo de sua história, a Fapesp esteve envolvida em inúmeras pesquisas que fizeram a ciência paulista e brasileira avançar e se equiparar à que é produzida nos principais centros do mundo.

Esse resultado foi conseguido com a aprovação de projetos de pesquisa altamente qualificados. Nos últimos dez anos foram aproximadamente 110 mil bolsas e auxílios à pesquisa científica e tecnológica. Somente em 2006, o investimento total foi próximo de R$ 522 milhões.

Histórico — A Fapesp começou a ser desenhada em 1942, quando Jorge Americano, reitor da Universidade de SP, instituiu os Fundos Universitários de Pesquisa para a Defesa Nacional, logo depois da entrada do Brasil na 2ª Guerra Mundial.

Em 1947, um grupo de pesquisadores e professores universitários, liderado por João Luiz Meiller e Adriano Marchini, submeteu à Assembléia Constituinte do Estado uma proposta que originou o artigo 123 da Constituição paulista. Esse artigo estabeleceu que o apoio à pesquisa científica fosse feito por uma fundação nos moldes da atual Fapesp.

Um nome de destaque entre os constituintes foi o do deputado Caio Prado Júnior. "O artigo era claro, mas foram necessários 13 anos de discussões e lutas para torná-lo realidade", lembrou Alberto Carvalho da Silva, co-fundador da Fapesp, diretor científico entre 1967 e 1969 e diretor-presidente de 1984 a 1993.

Em 1959, o governador Carvalho Pinto indicou uma comissão para discutir a primeira minuta do anteprojeto de lei que daria origem à instituição. Acolhido pela Assembléia Legislativa, o documento serviu de base para a Lei Orgânica 5.918, sancionada em outubro de 1960 pelo governador, que autorizou o Poder Executivo a criar a Fundação. A Fapesp foi instituída em 23 de maio de 1962, pelo Decreto 40.132.

Atuação e recursos - Uma das principais agências de fomento à pesquisa científica e tecnológica do Brasil, a Fapesp é reconhecida em todo o país e no exterior pela eficiência de seu modelo institucional e operacional.

A Fundação atua em todas as áreas do conhecimento, faz difusão científica e promove a formação e o aperfeiçoamento de pesquisadores. Para isso, mantém programas regulares, especiais e de inovação tecnológica com bolsas e auxílios a pesquisa.

O apoio é feito por meio do financiamento a projetos aprovados, submetidos por pesquisadores ligados a Universidades e institutos de pesquisa sediados no estado. A análise e seleção desses projetos são feitas pela própria comunidade científica e envolvem mais de 6 mil assessores no Brasil e no exterior.

A metodologia é a mesma utilizada pelas mais importantes agências de fomento à C&T no mundo.

Os recursos que a Fapesp destina ao fomento científico são provenientes do repasse de 1% da receita tributária do estado, previsto pela Constituição Estadual, além do rendimento de seu patrimônio.

Desde o início de suas atividades, a Fundação também atua de forma complementar e articulada com agências federais. De acordo com a lei que criou a Fundação, seus custos administrativos não podem exceder 5% do total de suas receitas.

Mais de 15 mil propostas de pesquisa são apresentadas e quase 10 mil aprovadas a cada ano. Em 2006, a Fundação elevou em 8% o investimento realizado no ano anterior.

O total de recursos para financiamento de projetos cresceu 32% nos últimos dois anos. Dos quase R$ 522 milhões desembolsados em 2006, R$ 150 milhões foram destinados a Bolsas, R$ 224 milhões a Auxílios a Pesquisa e R$ 148 milhões a Programas Especiais e de Pesquisa para Inovação Tecnológica. Os projetos deste último programa receberam R$ 72,3 milhões.

Pesquisas de impacto - Alguns programas marcaram a trajetória da Fundação e definiram modelos de organização de grupos de pesquisa em torno de temas importantes. O Bioq-Fapesp, iniciado em 1971, é um exemplo.

O programa reuniu bioquímicos da Universidade de SP e da Escola Paulista de Medicina (atual Universidade Federal de SP, Unifesp), induzindo a necessária formação de recursos humanos e multiplicando os núcleos de pesquisa no interior do estado naquele momento.

Em 1974, o Programa Radar Meteorológico de SP (RadaSP), com equipamento instalado no Instituto de Pesquisas Meteorológicas (Inpe), modernizou uma área de interesse fundamental para a agricultura paulista.

Lançados em 1994 e 1997, os Programas Parceria para Inovação Tecnológica (Pite) e Inovação Tecnológica em Pequenas Empresas (Pipe) foram marcos da nova forma de organização da pesquisa na década.

O incentivo equilibrado entre a pesquisa que faz avançar o conhecimento e aquela que visa à aplicação do conhecimento resultou em projetos muito relevantes para o desenvolvimento socioeconômico paulista e brasileiro.

Entre eles estão pesquisas de novas vacinas e fármacos, mecanismos de prevenção e formas de tratamento de doenças, investigações agronômicas e de saúde animal com impacto na produtividade agrícola, conhecimento e preservação da biodiversidade paulista e prospecção de fitofármacos e avanços na astronomia, como a instalação do Observatório Soar (Southern Observatory for Astrophysical Research), no Chile, que captou imagens de explosões datadas de 12,7 bilhões de anos-luz, essenciais para estudos sobre a formação do Universo.

A cooperação internacional é outro meio utilizado pela Fapesp para atualizar e formar recursos humanos para a atividade de pesquisa. A Fundação mantém convênios internacionais de cooperação científica com 15 instituições dos Estados Unidos e Europa para a realização de projetos em colaboração.

Comemoração dos 45 anos da FAPESP

Data: 23/5, às 21h

Local: Sala SP, Complexo Cultural Júlio Prestes

Endereço: Praça Júlio Prestes, s/n, Luz, SP, SP

(Assessoria de comunicação da Fapesp)