Notícia

Esteta

FAPESP apresenta oportunidades de pesquisa na Nature Jobs Career Expo:

Publicado em 18 setembro 2013

As oportunidades de pesquisa no Estado de São Paulo para jovens cientistas estrangeiros serão apresentadas pela FAPESP na Inglaterra, no dia 19 de setembro, durante o evento Nature Jobs Career Expo 2013, uma das mais importantes feiras de empregos da área científica.

Em sua sétima edição, o encontro é realizado anualmente em Londres e oferece um espaço de interação entre jovens cientistas e potenciais empregadores, como indústrias, universidades, institutos de pesquisa, agências de fomento e outros órgãos governamentais. De acordo com os organizadores, 65 instituições, entre elas a FAPESP, estarão presentes em 2013 para apresentar suas atividades. O público esperado é de aproximadamente 1,2 mil pessoas.

A programação conta com um workshop sobre as “Oportunidades de pesquisa em São Paulo”, que será apresentado por Hernan Chaimovich, assessor especial da diretoria científica da FAPESP. Além de oferecer um panorama sobre o atual momento da ciência brasileira e paulista, Chaimovich falará sobre a história, a organização e o funcionamento da FAPESP.

“Apresentaremos as oportunidades oferecidas para pesquisadores estrangeiros ou para brasileiros no exterior que queiram ajudar o Estado de São Paulo a melhorar a qualidade científica e aumentar o número de grupos de pesquisa. Como o público é formado principalmente por cientistas em início de carreira, a ênfase estará nos programas de pós-doutorado e Jovens Pesquisadores”, contou Chaimovich.

Em 2012, o desembolso total da FAPESP com o fomento à pesquisa foi de R$ 1.035.207.651,00. Foram contratadas 906 bolsas regulares de pós-doutorado (desembolso de R$ 123.136.804,00 com as bolsas novas e as que já estavam em andamento) – 15% das concessões foram para pesquisadores estrangeiros, havendo maior incidência nas áreas de Ciências Exatas e da Terra e Ciências Biológicas.

No âmbito do programa Jovens Pesquisadores, foram contratados 116 projetos, sendo 82 auxílios à pesquisa e 34 bolsas no país. O desembolso com os novos projetos e com aqueles aprovados em anos anteriores em andamento foi de R$ 36.777.386,00.

Também visando ampliar o intercâmbio entre pesquisadores paulistas e estrangeiros, a FAPESP assinou, no ano passado, 22 acordos internacionais de cooperação científica, sete a mais que em 2011, atingindo um total de 65 vigentes no ano com 14 países: Alemanha, Argentina, Austrália, Canadá, Dinamarca, Estados Unidos, Espanha, Finlândia, França, Holanda, Israel, México, Reino Unido e Suíça.

Criando vínculos

Após a apresentação de Chaimovich, Euclides de Mesquita Neto, professor da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e membro da Coordenação da Área de Engenharia da FAPESP, ministrará um segundo workshop sobre as “Oportunidades em Ciências Exatas e Engenharia”, áreas que receberam em 2012 investimentos de mais de R$ 290 milhões.

“A ideia é apresentar dados sobre alguns dos projetos de mais alto impacto desenvolvidos em São Paulo nessas áreas, que recebem um recurso expressivo para de bolsas e auxílios à pesquisa projetos e contam com uma comunidade científica relativamente grande. Há oportunidades para muitos pesquisadores do exterior virem consolidar sua carreira aqui”, avaliou Mesquita Neto.

Para ele, a vinda de estrangeiros ajuda os pesquisadores paulistas a criar vínculos com uma comunidade internacional bem estruturada e obter qualificação em áreas ainda deficientes no Estado.

Por último, Marie-Anne van Sluys, professora da Universidade de São Paulo (USP) e membro da Coordenação Adjunta de Ciências da Vida da FAPESP, falará sobre “Oportunidades nas áreas de Ciência da Vida” – que receberam da FAPESP em 2012 um investimento de R$ 592,9 milhões.

“O setor de Saúde recebeu a maior parte dos recursos, seguido por Biologia/Ecologia e Agronomia/Veterinária. Esses campos oferecem uma enorme gama de oportunidades para jovens cientistas e também para os experientes. Temas como biologia celular do câncer, doenças tropicais, biodiversidade e desafios ambientais são os mais frequentes, ao lado dos problemas de saúde relacionados ao estilo de vida moderno, bioeconomia e produção de alimentos. Há ainda novas áreas multidisciplinares, como Biologia Sintética, para as quais é um desafio atrair investigadores motivados”, disse Sluys.

A programação conta ainda com uma série de conferências e workshops com temas como “O guia essencial para publicar em revistas científicas de alto impacto”, “Administre sua carreira de pesquisa”, “Como preparar pôsteres científicos” e “Aprenda a elaborar um currículo eficaz”.

Dados estatísticos sobre a edição de 2012 da feira mostram que a maioria dos participantes é inglesa (87%) e tem entre 25 e 34 anos (69%). Os estudantes de doutorado correspondem a 37% do público e os de pós-doutorado representam 22%. Mais de 80% dos cientistas afirmaram estar dispostos a mudar de país caso encontrem a oportunidade certa.

As áreas de maior interesse foram Biologia (54%) e Medicina (13%), seguidas por Física e Química (empatadas em 5%), Ciências Ambientais (4%), Ciências dos Materiais (3%), Negócios e Investimentos (2%), Engenharia (2%), Astronomia e Ciências Planetárias (1%).

Em 2014, a Nature Jobs Career Expo será realizada pela primeira vez na cidade de Boston, nos Estados Unidos, no dia 20 de maio. Também haverá uma edição em Londres, como já é tradicional, no dia 19 de setembro.

Mais informações: www.fapesp.br/en/8013


Karina Toledo
Agência FAPESP