Notícia

Notícias de Hortolândia

Fapesp apoia iniciativas conjuntas para pesquisas em áreas da Física

Publicado em 08 maio 2019

Por José Tadeu Arantes  |  Agência FAPESP

Grupo concentrará esforços em três campos de estudos: Física de partículas de alta energia, Astrofísica e Cosmologia

Com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), a capital paulista recebeu, nos dias 30 de abril e 1º de maio, o primeiro Fórum Estratégico Latino-Americano para Infraestrutura na Pesquisa.

Sediado pelo Instituto Sul-Americano para Pesquisa Fundamental (ICTP-SAIFR), o evento, realizado no Instituto de Física Teórica da Universidade Estadual Paulista (IFT-Unesp), foi uma atração paralela à 8ª Reunião Anual do Global Research Council (GRC).

Na ocasião, pesquisadores de diversos países latino-americanos formaram um grupo de trabalho com o objetivo de reunir subsídios para a produção de relatórios com informações e propostas sobre possíveis pesquisas colaborativas a serem realizadas, além da infraestrutura necessária para isso, em três grandes campos de estudos: Física de partículas de alta energia, Astrofísica e Cosmologia.

Além dos integrantes das comunidades científicas latino-americanas, o grupo preparatório deverá incorporar também quatro representantes de outras regiões do mundo.

“O grupo preparatório apresentará relatórios para um comitê estratégico composto por cientistas eminentes e representantes das agências de fomento à pesquisa. O grupo estratégico escolherá, dentre as propostas apresentadas, aquelas que devem ter prioridade para compor um projeto-piloto”, informou à Agência Fapesp o físico Nathan Berkovits, professor titular do IFT-Unesp e diretor do ICTP-SAIFR, que tem apoio da Fapesp.

Articulação

O esforço de articulação visa a impulsionar a pesquisa em áreas estratégicas da física na América Latina, emancipando o subcontinente da posição subalterna em que se encontra por razões históricas e políticas. O exemplo que inspira a iniciativa é o do próprio Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear (Cern), que nasceu em 1949 em uma Europa que acabava de emergir da Segunda Guerra Mundial.

Concebida por um pequeno grupo de físicos visionários, a organização tinha o objetivo de estancar a “evasão de cérebros” para os Estados Unidos e de fornecer uma base intelectual para a reconstrução do continente.

A data-limite para que o grupo preparatório apresente os relatórios foi fixada em 1º de dezembro de 2019. A próxima reunião plenária do grupo preparatório deverá ocorrer no ICTP-SAIFR, em São Paulo, no dia 2 de março de 2020.

“Esse é o começo de um longo processo de planejamento estratégico, um exercício que pode levar a resultados interessantes, em nível nacional, relativos à colaboração entre diversos países da região em projetos de interesse comum”, afirmou à Agência Fapesp o físico Rogério Rosenfeld, professor do IFT-Unesp, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Física e integrante do grupo preparatório.