Notícia

Agência USP de Notícias

Fapesp abre financiamento de US$ 10 milhões para projetos em Internet

Publicado em 06 setembro 2001

Por André Chaves de Melo
A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) anunciou a concessão de uma nova linha de financiamento num total de US$ 10 milhões voltada ao projeto Tecnologia da Informação para o Desenvolvimento da Internet Avançada (Tidia). Segundo Luís Fernandez Lopéz, professor de Informática Médica da Faculdade de Medicina (FM) da USP e coordenador da Comissão Assessora da Fapesp, a instituição foi pioneira nos incentivos das pesquisas na área de Internet no Brasil desde 1991. O anúncio foi feito ontem (05), às 11 horas, na sede do Instituto de Estudos Avançados (IEA) da USP, durante seminário sobre a nova linha de financiamento. Lopéz explica que o projeto Tidia foi criado com o objetivo de fomentar a criação de recursos humanos no setor, viabilizando a instalação e a manutenção de pequenas, médias e grandes empresas nacionais e multinacionais, a geração de empregos e de impostos, fonte dos recursos necessários para a continuidade das pesquisas do setor público, que responde pela quase totalidade da atual produção brasileira de conhecimento. "A idéia é que, como aconteceu com o Projeto Genoma, o Tidia passe a contar também, em breve, com recursos significativos da iniciativa privada, uma das maiores interessadas no desenvolvimento pleno do setor no Brasil," disse Lopez. A iniciativa faz parte do ciclo de seminários São Paulo Digital, organizado pelo Projeto Cidade do Conhecimento do IEA-USP. O projeto, criado para ampliar e melhorar as oportunidades de emprego no País por meio de tecnologias de informação e comunicação, é formado por uma rede de comunicação entre o mundo escolar e o mundo do trabalho via Internet, com ênfase na inclusão digital. Além de López, estiveram presentes no evento o coordenador da Cidade do Conhecimento, o sociólogo e economista Gilson Schwartz, Imre Simon, professor do Instituto de Matemática e Estatística (IME) da USP e membro da Comissão Assessora da Fapesp, e diversos pesquisadores e representantes de empresas. De acordo com Simon, o programa se baseia no cooperativismo, na multidisciplinaridade, na participação da comunidade e no crescimento exponencial, sem a construção de novos prédios, mas aproveitando as estruturas e os recursos humanos que já existem, interligando-os virtualmente pela Internet. Para realizar os testes da futura rede avançada os pesquisadores pretendem construir a Tesbed, uma linha de 36 pares de fibras óticas que vai interligar São Paulo à Campinas, num total de 7.200 quilômetros de cabos, com uma velocidade de transferência de dados na faixa dos 10 Gigabytes por segundo. Os grupos de pesquisa e empresas interessadas em participar do Tidia deverão acessar o site www.tidia.fm.usp.br e se inscrever na lista de discussão para apresentar suas idéias. Entre o final de setembro e começo de outubro, a Fapesp vai convocar os inscritos para entregarem seus Pré-Projetos que serão analisados e selecionados por uma comissão de especialistas (ainda a ser formada). "O Tidia não vai se centralizar apenas em tecnologias de transmissão de conteúdos, mas também vai se dedicar às múltiplas possibilidades de criação desses conteúdos", explica Simon.