Notícia

Fapemig

FAPEMIG participa de edital para formação dos INCTs

Publicado em 06 agosto 2008

Com um investimento de R$435 milhões, o Conselho de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), em parceria com a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), FAPEMIG, FAPERJ e FAPESP, lançou o edital para formação dos Institutos Nacionais de Ciência, Tecnologia e Inovação (INCTs), o novo programa do CNPq em substituição ao antigo Institutos do Milênio.

Estes institutos têm como missão incentivar a pesquisa, a formação de recursos humanos e tranferência de conhecimento. Os INCTs são voltados para a inovação tecnológica e deverão ser caracterizados por uma área ou tema de atuação bem definido. Do valor previsto, R$270 milhões serão repassados pelo Governo Federal nos três primeiros anos, R$30 milhões pela CAPES e R$135 milhões pelas FAPs. A FAPEMIG irá participar com R$30 milhões.

Cinqüenta por cento do valor total do investimento serão outorgados aos institutos que irão abordar os seguintes temas: biotecnologia; nanotecnologia; tecnologias de informação e comunicação; saúde; biocombustíveis; energia elétrica, hidrogênio e fontes renováveis de energia; petróleo, gás e carvão mineral; agronegócio, biodiversidade e recursos naturais; Amazônia; semi-árido; mudanças climáticas; programa espacial; programa nuclear; defesa nacional; segurança pública; educação; mar e antártica e inclusão social. O restante será disponibilizado para apoiar as melhores propostas da demanda espontânea de todas as áreas. 

As propostas deverão ser apresentadas respeitando as faixas A, B ou C. A primeira, que terá R$3 milhões como valor máximo de financiamento, será voltada para institutos envolvidos com atividades que não necessitam de equipamentos ou reagentes de alto custo, como as áreas de matemática, física teórica, grande parte das ciências humanas e sociais aplicadas. A segunda, destinada a institutos com programas de caráter experimental que exigem equipamentos ou reagentes de baixo custo, tem o limite de R$6 milhões. E por último a faixa C, para institutos com programas experimentais, porém com exigência de equipamentos e reagentes de alto custo, poderá chegar a R$9 milhões.

Os institutos terão que definir claramente o tema escolhido, desenvolvendo-o de forma bem elaborada nos seguimentos de pesquisa científica ou tecnológica, com visão inovadora. As propostas podem ser enviadas ao CNPq até o dia 18 de setembro, e o resultado está previsto para 17 de novembro deste ano. Outras informações no site www.cnpq.br.